08/03/2021

Mudanças climáticas vão trazer perdas ao setor elétrico, diz estudo

Mudanças climáticas nas próximas três décadas podem causar perdas econômicas relevantes ao setor elétrico brasileiro e impactar negativamente as operações de geração, transmissão e distribuição de eletricidade. A conclusão é de um estudo inédito do Instituto Acende Brasil que analisa os cenários para o setor até o ano de 2050.

Algumas das principais ameaças da intensificação do aquecimento global nos próximos anos são alterações no regime hidrológico, que podem afetar a capacidade de geração hidrelétrica, além da ocorrência de eventos extremos que danifiquem redes de transmissão e distribuição.

Segundo o estudo, incorporar as mudanças do clima à lógica do setor pode ajudar a otimizar investimentos e a planejar de forma melhor a operação e expansão futura do mercado. Para o instituto, é necessário que o mercado de energia comece a aplicar mais recursos de pesquisa para o desenvolvimento de modelos de monitoramento climático. A lógica é que antecipar a ocorrência de eventos extremos ajuda a planejar planos de resposta de equipes de manutenção e dar mais eficiência a eventuais reparos...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=336941&sid=105

BYD marca presença entre as empresas do setor solar fotovoltaico no estudo Top Brands Brasil 2020

Realizada pela revista Fotovolt, a pesquisa Top Brands Brasil 2020 teve a BYD como destaque entre as empresas do setor fotovoltaico. O estudo contou com a participação de mais de sete mil especificadores profissionais de equipamentos para geradores fotovoltaicos e usuários, os quais recomendaram as marcas relevantes em 25 categorias.

Como consequência da tecnologia presente em seu ESS Container, a BYD conquistou o primeiro lugar na categoria Armazenamento de Energia ESS. O produto composto por fosfato de ferro lítio (LiFePO4) realiza, por meio de Sistema de Conversão de Potência (PCS), o monitoramento, gerenciamento e comunicação, além de contar com um sistema integrado para evitar incêndios e controlar a temperatura.

A empresa explica que o sistema de armazenamento de energia responde às demandas de diversos setores, como propriedades rurais, aeroportos, portos, concessionárias de energia, indústrias em geral e bases militares...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/byd-marca-presenca-entre-as-empresas-do-setor-solar-fotovoltaico-no-estudo-top-brands-brasil-2020.html

Novas tecnologias: será que você sabe o que precisa saber?

Durante o Fórum Econômico Mundial de 2020, uma pesquisa sobre qualificação profissional chamou a atenção, alertando para o fato de que 42% das habilidades básicas necessárias para a execução das tarefas naquele momento serão alteradas até 2022. Mais de um ano já se passou desde essa divulgação, o que significa que a necessidade de atualização profissional é uma questão ainda mais urgente.

Um dos principais fatores a impulsionar essa mudança é o desenvolvimento tecnológico. Muitas das ferramentas disponíveis hoje, em diversos segmentos, ainda não existiam quando profissionais hoje experientes cursavam suas graduações ou cursos técnicos. E nem o fato de eventualmente pertencer a uma geração mais jovem pode assegurar total conhecimento aos recém-formados.

Esse descompasso pode criar dificuldades não apenas para os profissionais em suas diversas funções mas também para as empresas, em uma visão ampliada. À medida que optem por soluções disruptivas em novos projetos, muitas delas em algum momento irão enfrentar a necessidade de ampliar a capacitação profissional dos seus times...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53165544/novas-tecnologias-sera-que-voce-sabe-o-que-precisa-saber

EDP divulga assinatura de acordo para aquisição da plataforma de investimento em geração solar distribuída da AES Brasil

A EDP divulgou ter firmado um acordo para a aquisição da plataforma de investimento em geração solar distribuída da AES Brasil, a AES Inova. O contrato foi elaborado por meio da divisão que abarca o portfólio da empresa em soluções em energia, a EDP Smart. Segundo a empresa, levando em conta o capex para o desenvolvimento dos empreendimentos e o valor de aquisição de R$ 101,7 milhões, o investimento total é avaliado em R$ 177 milhões.

Com o empreendimento, a companhia amplia em 50% a dimensão de seu portfólio de projetos e progride em sua estratégia de expansão no setor de energia solar. Com o fechamento do acordo, a carteira de projetos da EDP Smart recebe quase 34 MWp por meio de ativos situados em São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Desse valor total, cerca de 16 MWp são atribuídos a projetos contratados e em atividade comercial. Os outros 18 MWp estão relacionados a projetos ready to build no território mineiro, os quais proporcionarão à EDP a contratação em um mercado estratégico, a elaboração da obra e a aplicação de sinergias operacionais com outros ativos no local…

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/geracao-solar/edp-divulga-assinatura-de-acordo-para-aquisicao-da-plataforma-de-investimento-em-geracao-solar-distribuida-da-aes-brasil.html

Priorização de hidrelétricas ameaça a segurança energética do Brasil

Embora o Brasil possua grande potencial para produzir energia limpa por meio de Usinas Hidrelétricas – responsáveis hoje pela geração de 64% da eletricidade do país – a dependência desse tipo de matriz energética traz diversos problemas econômicos, ambientais e sociais. Apesar de se tratar de uma energia renovável, a construção de usinas hidrelétricas traz impactos ambientais severos, como a destruição da fauna, flora e do solo; extinção de espécies; alagamento de áreas e também destruição das comunidades ribeirinhas.

Hoje, o país conta com 217 usinas hidrelétricas em operação, além de 713 centrais geradoras e 425 pequenas centrais que impactam na natureza. E, além disso, o sistema hidrelétrico também tem causado um transtorno enorme no setor econômico. As contas de luz estão cada vez mais caras por conta do elevado custo do megawatt/hora, decorrente da estiagem que o Brasil está passando esse ano.

Recentemente, houve um apagão no Amapá por 22 dias, atingindo 13 dos 16 municípios do estado. Foi o maior blackout do país desde 1999, quando Brasil e Paraguai ficaram sem luz por um dia, devido a uma pane na Usina Hidrelétrica de Itaipu e o apagão que aconteceu em uma subestação de energia elétrica de Bauru (SP). Mais de 50 milhões de pessoas em dez estados brasileiros foram atingidas, além de todo Paraguai que ficou no escuro. Com o ocorrido, houve caos no trânsito, emissoras de TV ficaram fora do ar, houve arrastões e alguns hospitais ficaram sem luz…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=336895&sid=105

Nordeste bate recorde de geração solar

A região Nordeste registrou novo recorde de geração solar média na última quarta-feira, 3 de março, o primeiro do ano para a fonte, informa o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O montante acumulado foi de 531 MW médios, representando 4,6% da demanda da região, volume suficiente para abastecer por um dia o estado de Alagoas.

O último recorde, de 523 MW médios, havia sido registrado em 3 de abril de 2020, quase um ano atrás, num monitoramento do Operador que acontece desde 2015. A previsão é de que a energia fotovoltaica chegue ao fim de 2021 representando 2,3% da matriz elétrica nacional.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53165567/nordeste-bate-recorde-de-geracao-solar-2