07/10/2020

Geradora de fontes renováveis supera valor de mercado da maior petroleira

Pela primeira uma empresa de energia renovável superou o valor de mercado de uma companhia de petróleo. Este marco ocorreu na última sexta-feira (2), quando a empresa americana NextEra, maior geradora de energia solar e eólica no mundo, chegou a valer US$ 138,6 bilhões, superando a companhia americana de petróleo Exxon Mobil que no mesmo momento valia US$ 137,9 bilhões. 

No fechamento do mercado, o valor da companhia de petróleo voltou a superar o da NextEra. Porém, este marco demonstra a expansão e a valorização das fontes renováveis, atraindo cada vez mais investimentos em todo o mundo.

Atualmente, a NextEra possui mais de 200 instalações de geração de energia espalhadas pelos Estados Unidos, sendo que a maioria são de fontes solar ou eólica. Somente cerca de dez delas são de outras fontes, como gás natural, nuclear e óleo...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/1069-geradora-de-fontes-renovaveis-supera-valor-de-mercado-da-maior-petroleira

EPE lança anuário estatístico interativo

A Empresa de Pesquisa Energética disponibilizou dois novos relatórios referentes ao Anuário Estatístico de Energia Elétrica com dados consolidados de 2019. A publicação chega com o Relatório Final e o Anuário Interativo que traz as informações relativas à cadeia de energia elétrica do Brasil, com destaques para o consumo de eletricidade, bem como informações regionais e das unidades federativas.

De acordo com a EPE, esta publicação é resultado do trabalho cooperativo com os agentes do mercado de energia, realizado no âmbito da Comissão Permanente de Análise e Acompanhamento do Mercado de Energia Elétrica (COPAM), sob a coordenação da EPE.

As estatísticas apresentadas consolidam as informações publicadas nas edições regulares da Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica e no Boletim Trimestral de Consumo de Eletricidade, divulgadas pela EPE...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53150167/epe-lanca-anuario-estatistico-interativo

Nexans vai fornecer quase 5 mil km de cabos para UFV Sol do Sertão

A Nexans Brasil fechou um contrato com o consórcio Seta Araxá para fornecimento de aproximadamente 4.600 km do cabo Energyflex para construção do complexo fotovoltaico Sol do Sertão (BA – 490 MW), que será formado por oito parques e um total de 1000 painéis, numa obra que deve superar 1300 colaboradores em sua fase de pico.

Segundo a subsidiária local do grupo francês, a solução foi desenvolvida para atender especialmente as necessidades das UFVs e onde são previstas temperaturas ambientes extremamente elevadas, com o revestimento de cobertura formulado para atender aos requisitos das normas UL 2556, IEC 60332-1 e ABNT NBR 16612, de resistência ao UVB e à queima.

Como requisito adicional e normativo para aplicação em interiores, a companhia informa que os cabos possuem baixa emissão de fumaça e gases tóxicos, sendo livres de halogêneo, integrando a linha Afitox.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53150194/nexans-vai-fornecer-quase-5-mil-km-de-cabos-para-ufv-sol-do-sertao

A diretoria colegiada da ANEEL decidiu, nesta terça-feira (6/10), abrir consulta pública para debater os limites dos indicadores de continuidade de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) e Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC) da Enel Distribuição Rio – Enel RJ para o período de 2021 a 2023.

A distribuidora pondera que há dificuldades de atendimento aos limites de DEC e FEC em conjuntos com áreas de risco, algumas delas inacessíveis em determinados horários ou em situações de conflito.

A metodologia atual de definição dos limites de DEC e FEC das distribuidoras foi estabelecida na Resolução Normativa nº 641/2014.
Interessados devem enviar suas contribuições entre 7/10 e 23/11/2020 para o e-mail cp059_2020@aneel.gov.br.

Os documentos da consulta pública nº 59/2020 estão disponíveis no site da Agência, em www.aneel.com.br/consultas-publicas.

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.aneel.gov.br/sala-de-imprensa-exibicao-2/-/asset_publisher/zXQREz8EVlZ6/content/aneel-abre-consulta-para-revisar-limites-de-dec-e-fec-da-enel-rj/656877?inheritRedirect=false&redirect=https%3A%2F%2Fwww.aneel.gov.br%2Fsala-de-imprensa-exibicao-2%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_zXQREz8EVlZ6%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3Dcolumn-2%26p_p_col_pos%3D1%26p_p_col_count%3D3

Johnson promete transformar Reino Unido em líder mundial da energia eólica

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou, nesta terça-feira (6), que seu governo fará do Reino Unido o líder mundial em energia renovável barata, especialmente eólica.

Johnson promete que irá fornecer energia a todas as residências britânicas em dez anos.

"O governo britânico decidiu se tornar o líder mundial na produção de energia renovável barata, mais barata que carvão e gás", disse ele em um discurso proferido no último dia da convenção anual do Partido Conservador.

"Acreditamos que, em dez anos, a energia eólica offshore fornecerá energia para todas as residências do nosso país", acrescentou.

Durante a campanha de dezembro passado, para eleições legislativas em que obteve uma maioria esmagadora, Johnson prometeu aumentar a geração de energia eólica offshore para 40 gigawatts (GW) até 2030. Hoje, são 10 GW.

O líder conservador tenta, com isso, galvanizar suas fileiras com a defesa de uma "revolução industrial verde", a qual "criará centenas de milhares, talvez milhões de empregos"...

Fonte: Estado de Minas

Leia mais em:

https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2020/10/06/interna_internacional,1192069/johnson-promete-transformar-reino-unido-em-lider-mundial-da-energia-eo.shtml

Comercialização de energia atrai bancos e flerta com aquisições e IPOs

O setor de comercialização de energia deve ter forte movimento de aquisições e novos negócios no Brasil nos próximos anos, à medida que taxas de juros em mínimas históricas levam bancos, fundos e outras empresas a um maior apetite por esse mercado, que está em franca expansão.

Esse interesse fomentará a criação de novas “tradings” de energia elétrica e também deve gerar M&As no curto e médio prazo, com novos investidores buscando acelerar a entrada em um mercado em que já atuam grandes elétricas –como Cemig (CMIG4),Engie (EGIE3) e EDP– e bancos incluindo BTG Pactual (BPAC11)  Santander Brasil (SANB11), Itaú Unibanco (ITUB4), Daycoval e o australiano Macquarie.

As perspectivas positivas também atraem atenção do mercado de ações, com bancos de investimento sondando algumas comercializadoras de eletricidade para estudos sobre operações de abertura de capital (IPO), disseram consultores e executivos à Reuters...

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/comercializacao-de-energia-atrai-bancos-e-flerta-com-aquisicoes-e-ipos/

Comercialização de energia atrai bancos e flerta com aquisições e IPOs

O sistema de transmissão no Estado do Ceará está ainda mais confiável. Com investimento aproximado de R$ 24 milhões, a Chesf colocou em Operação Comercial, na madrugada da última sexta-feira, 2 de outubro, novo trecho de linha de transmissão, em circuito duplo, com a ampliação da subestação Aquiraz II.

Os novos circuitos, com extensão de 20 quilômetros cada, são resultado do seccionamento da LT 230 kV Banabuiú/Fortaleza 04F2 e estabeleceram novas conexões à SE Aquiraz II.

De acordo com o diretor de Engenharia e Construção, Roberto Pordeus, a obra vai ampliar a capacidade de transporte de energia e tornar ainda mais confiável o suprimento de energia no Ceará, por extensão, ao Sistema Interligado Nacional, que salientou ainda a receita gerada pelo empreendimento para a Chesf, na ordem de R$ 5,3 milhões anuais.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53149922/chesf-investe-r-24-milhoes-e-reforca-transmissao-no-ceara

Geração solar é foco de Votorantim Energia e canadense CPPIB

O investimento em geração solar é uma das possibilidades da união entre a Votorantim Energia e a gestora canadense de fundos de pensão CPPIB, como foco para expandir seus negócios no setor elétrico do Brasil. A aquisição de ativos de transmissão também está na mira das empresas.

As duas controlam a as hidrelétricas da Cesp, em São Paulo, e operam parques eólicos no Piauí e em Pernambuco – com cerca de 560 megawatts em capacidade em fase inicial de expansão. A previsão é alcançarem quase 1 gigawatt em funcionamento em 2022.

“Agora desejamos a solar dentro desse portfólio”, revelou o presidente da VTRM Energia, Fabio Zanfelice, lembrando que o movimento visa criar um conjunto equilibrado de ativos de geração em carteira.

Os parques eólicos da companhia compensam os riscos associados à hidrologia que possam impactar a produção das usinas da Cesp e nesse caminho, os projetos solares seriam complementares ao perfil dessas usinas a vento do grupo, que geram mais energia à noite...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/geracao-solar-e-foco-de-votorantim-energia-e-canadense-cppib.html