06/12/2021

Energisa prevê investir R$14,5 bi em distribuição de energia em cinco anos

O grupo Energisa pretende investir 14,5 bilhões de reais no segmento de distribuição de energia até 2026, o que equivale a uma média de 2,9 bilhões por ano, segundo o vice-presidente de redes, Gioreli Filho.

Em reunião com analistas e investidores, o executivo afirmou que a distribuição de energia continuará como um importante pilar e ajudará a companhia no processo de expansão e diversificação dos negócios para outras áreas.

A Energisa também avaliará oportunidades de fusões e aquisições (M&A, na sigla em inglês), tanto em distribuição quanto em transmissão de energia, outro segmento em que deseja crescer "de forma relevante", disse o executivo.

Segundo o executivo, a companhia poderá se posicionar como uma "consolidadora" no segmento de transmissão, a partir da aquisição de plataformas de ativos de transmissão.

Outra oportunidade está em ativos com contratos que vencerão nos próximos anos, que somam mais de 2 bilhões de reais de receita anual permitida (RAP), acrescentou.

Fonte: Terra

Leia mais em:

https://www.terra.com.br/economia/energisa-preve-investir-r145-bi-em-distribuicao-de-energia-em-cinco-anos,08bbec9d9f49d4df6cfe0212d566bbe2qrdcskci.html

Ministro de Energia afirma que Rio de Janeiro pode receber quarta usina nuclear

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou hoje que há boas chances de a quarta usina nuclear do país ser instalada no Rio de Janeiro.

Albuquerque disse que o empreendimento estatal constará em plano decenal a ser apresentado no início de 2022, quando também se encerram os estudos para a definição do local, realizados pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e Eletrobras. O ministro afirmou que, antes de avançar na nova usina, é preciso colocar Angra 3 em operação, o que está previsto para acontecer até 2026.

“A nova usina poderá ser na região Sudeste, no Estado do Rio de Janeiro ou em qualquer outro, desde que cumpra os requisitos necessários. Mas o Rio é forte concorrente pra recebê-la”. Na saída do evento, ele disse a jornalistas que alguns locais são estudados, mas que há boas chances da escolha ser o Rio. “O Rio é imensamente privilegiado no que diz respeito a posição geográfica e, também, potencial energético que já possui, em petróleo e gás e geração nuclear. O Rio é forte concorrente”, reforçou...

Fonte: Valor Investe

Leia mais em:

https://valorinveste.globo.com/mercados/brasil-e-politica/noticia/2021/12/03/ministro-de-energia-afirma-que-rio-de-janeiro-pode-receber-quarta-usina-nuclear.ghtml

Leilões de Energia Existente movimentam mais de R$ 491 milhões

Os dois leilões realizados nesta sexta-feira (3) pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) movimentaram R$ 491 milhões em contratos, para fornecimento entre janeiro de 2022 e dezembro de 2024.

Os certames tiveram como objetivo reforçar o suprimento para o mercado regulado, no qual estão os consumidores das distribuidoras.

Os lotes contratados no Leilão de Energia Existente A-1 devem fornecer 66 MW médios (ou 1.156.320 MWh) para o Sistema Interligado Nacional (SIN) entre 01/01/22 e 31/12/23. Se sagraram vencedoras as empresas Alupar, Brasil, Copel e Safira, que devem entregar os montantes negociados para as distribuidoras Celpa e Cemar.

Já no certame A-2 foram contratados 71 MW médios (ou 1.245.624 MWh), para suprimento no período de 01/01/23 a 31/12/24. As empresas vencedoras são Eletronorte, Kroma, Máxima Energia e Vivaz Energia, que venderam para as distribuidoras Celpa, Cemar e CPFL Jaguari.

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/operacao-e-expansao/leiloes/leiloes-de-energia-existente-movimentam-mais-de-r-491-milhoes

The Clean Energy Package and the smart metering business case

The CEP is a major element of this change as it formalises the role of the smart meter in the heart of the smart energy transition. Through alignment with the concepts of the CEP, a DSO can leverage its investment in smart meters and generate more business value.

Of course, this requires them to have made the right technology investment in the first place. The latest benchmark from the EU on the smart meter business case is showing that the smart meter itself is not the only major element of investment; communications, operations and maintenance, IT, and security are also significant investments. DSOs that go with a “low-cost” approach, either on the smart meter or the supporting technologies, will be in trouble when it comes to leveraging this wide set of business benefits, and struggle with compliance to the CEP (and similar).

So, if the “low-cost” approach doesn’t fit the CEP, what are the characteristics of smart meters that will fit the CEP, and through this, help the DSO justify their investments in smart technology in the low-voltage grid.

That is what we are setting out to uncover…

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/the-clean-energy-package-and-the-smart-metering-business-case/

Conheça as turbinas subaquáticas que prometem energia limpa

Elas parecem aviões, mas as turbinas desenvolvidas pela empresa sueca Minesto funcionam debaixo da água. Durante o ano de 2020, elas foram usadas em teste para abastecer as ilhas Faroé (localizadas no Atlântico Norte) de energia elétrica.

O funcionamento é similar ao de aeronaves. O fluxo de água permite que esses equipamentos gerem impulso e eletricidade. Cada turbina tem capacidade de fornecer energia suficiente para 50 a 70 casas.

Com 5 metros de envergadura (distância de uma 'asa' a outra), essas turbinas são atadas por 40 metros de cabos de metal ao fundo do mar.

Essa configuração permite que elas se movam dentro da água, em velocidade maior que a maré, amplificando a quantidade de energia produzida. Essa característica é o diferencial entre os modelos existentes de turbinas subaquáticas

Além disso, computadores integrados permite que controladores ajustem o posicionamento delas. Assim, é obtida a maior eficiência na geração de energia possível, e permite que a turbina se adapte a mudanças na maré…

Fonte: Tecmundo

Leia mais em:

https://www.tecmundo.com.br/ciencia/229737-conheca-turbinas-subaquaticas-prometem-energia-limpa.htm