06/03/2020

Eneva renova a energia

Superar adversários faz parte da rotina do carioca Pedro Zinner, 46 anos, presidente da Eneva, gigante brasileira de geração de energia. Todos os dias, o executivo sobe ao tatame para praticar jiu-jítsu com o colega e diretor-financeiro da empresa, Marcelo Habibe, como forma de “aliviar o estresse”. O treino, segundo ele, ajuda também a dar confiança ao time nas mesas de negociação. Na última semana, ele deu clara demonstração de força e determinação. No primeiro dia de março, Zinner formalizou uma proposta de R$ 6,9 bilhões para incorporação da concorrente AES Tietê, controlada pela americana AES Corporation. “Se aprovada a fusão, isso resultará em empresa criada a partir de duas que são estrelas dentro dos seus segmentos de geração”, disse o presidente à DINHEIRO.

Zinner se reuniu com o conselho de administração da Eneva horas antes do envio da oferta à AES Tietê. Um encontro tranquilo, de acordo com ele, diante de um assunto que já era discutido havia quase um ano. Já na segunda-feira, a conversa foi com os funcionários nas plantas para passar a mensagem do valor a ser gerado da potencial combinação...

Fonte: Isto É Dinheiro

Leia mais em:

https://www.istoedinheiro.com.br/eneva-renova-a-energia/

‘A new kind of energy firm’ gets much needed pre-seed funding

David Energy leverages a machine learning platform as the Energy Operating System for buildings and to modernise how customers purchase energy.

The platform helps streamline wholesale energy purchasing, report sustainability metrics and optimise distributed energy resources such as smart thermostats, battery storage, and solar according to a building's unique needs.

The funding was co-led by Box Group and Greycroft, Great Oaks, Oceans, and a group of strategic angel investors including Zach Weinberg, Nat Turner, and Kiran Bhatraju.

"This is a hard and essential problem to solve: we're seeing how out of date our energy grid is through stories like the power shutoffs in California while at the same time we need a very advanced grid to address climate change, one of the greatest issues of our time,” said Adam Rothenberg, partner at BoxGroup...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/finance-investment/a-new-kind-of-energy-firm-gets-much-needed-pre-seed-funding/

Errata: Joint venture investirá R$ 2 bi em eólicas no Brasil

A Votorantim Energia e o fundo de pensão canadense CCP Investiments anunciaram que irão investir R$ 2 bilhões na construção de dois complexos eólicos na região da Serra do Inácio, entre os estados do Piauí e Pernambuco. No total, as usinas somam 411,6 MW de capacidade instalada, com previsão de operação em meados de 2022.

A energia produzida por Ventos do Piauí II e III será comercializada no mercado livre, com 60% do volume já contratado pelas empresas Votorantim Cimentos e Companhia Brasileira de Alumínio (CBA).

Em nota à imprensa, o CEO da Votorantim Energia e presidente do conselho da joint venture, Fabio Zanfelice, disse que, juntamente com os parques Ventos do Piauí I e Ventos do Araripe III, as novas usinas vão compor o maior cluster de geração eólica do Brasil, responsável por 5% da produção de energia através dos ventos do país e 36% da geração eólica do Piauí. “Serão 976,2 MW de capacidade instalada de geração, sendo 745,2 MW naquele estado e 231,0 MW em Pernambuco”, declarou o executivo...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53128461/sem-dinheiro-de-bancos-joint-venture-investira-r-2-bi-em-eolicas-no-brasil

Energisa prevê investimento recorde este ano

A Energisa anunciou que vai investir quase R$ 3 bilhões este ano, um valor recorde, com foco em seus negócios de distribuição e transmissão. A informação foi dada pelo CEO da empresa, Ricardo Botelho, à agência Reuters, reforçando também que avalia voltar a fazer aportes no setor de geração solar e eólica.

Ainda segundo a companhia, grande parte desses investimentos, em torno de R$ 2,5 bilhões (8,5% maior do que em 2019), será destinada a empresas de distribuição adquiridas em 2018 da Eletrobrás e em leilões de privatização. Porém, essa parcela exclui projetos de geração eólica e solar, hoje em fase avançada de estudos na companhia.

“As energias solar e eólica estão incluídas em projetos especificamente de geração de grande porte. Temos analisado com atenção nos últimos anos a possibilidade de retomar esses projetos, dependendo das oportunidades, podemos nos lançar novamente nesse setor”, disse Botelho...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-solar/energisa-preve-investimento-recorde-este-ano.html