06/01/2021

National smart meter rollout planned in Colombia

The proposals, which are currently under consultation, aim to achieve 75% coverage corresponding to about 11.8 million out of the 15.7 million customers connected to the National Interconnected System (SIN) by 2030.

Creg’s background document states that the decision to implement advanced metering infrastructure (AMI) in the SIN is a matter of public policy with the objectives of improving the provision of service, optimising the commercialisation and distribution activities and delivering additional functionalities to customers.

Creg in drafting the guidelines reviewed various models that have been implemented across the world, noting that the experience has been diverse, both in terms of the models adopted and in the results obtained. However, a common element is the relevance of the information that results from the AMI...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/national-smart-meter-rollout-planned-in-colombia/

EDP Brasil passará por mudança no comando

A EDP Brasil passará em breve por uma troca no comando, como consequência do processo de reestruturação global de sua controladora portuguesa. O Valor  apurou que o atual presidente da subsidiária brasileira, Miguel Setas, deixará o cargo para assumir novas funções junto à matriz, se tornando o executivo “número 2” da companhia.

No lugar de Setas, deverá entrar João Marques da Cruz, que é membro do conselho executivo da EDP desde 2012 e tem laços estreitos com os negócios do grupo na Ásia. Segundo fontes, ele é próximo da China Three Gorges (CTG), gigante chinesa que é acionista da EDP (21,55% do capital) e que detém, no Brasil, um portfólio de mais de 8 gigawatts (GW) de ativos hidrelétricos e eólicos. ]

A movimentação integra as mudanças promovidas na holding após seus principais executivos terem sido afastados da gestão por ordem da Justiça portuguesa...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=335454&sid=105

Empresa chinesa investe em projetos de energia renovável no RN

O Rio Grande do Norte está recebendo cada vez mais investimentos em renováveis. Após a desenvolvedora Scatec Solar assinar um MOU (Memorando de Entendimento) com a petrolífera Equinor e a produtora norueguesa de alumínio Hydro para desenvolver uma usina solar no estado, a Energy China anunciou em dezembro a assinatura de dois contratos para a construção de projetos de energia renovável.

Um dos acordos envolve a construção de uma planta fotovoltaica de 638 MW, além de subestações e linhas de transmissão. O outro prevê a implementação de um parque eólico com capacidade de 231 MW.

De acordo com a companhia, ambos os contratos foram assinados por sua subsidiária Gezhouba Group International Engineering, na modalidade EPC - que compreende engenharia, gestão de compras e construção.

A Energy China participou da construção do complexo hidrelétrico Três Gargantas, localizado na China, com capacidade instalada de 22,5 mil MW. No Brasil, o grupo participou da implementação de linhas de transmissão da hidrelétrica de Belo Monte...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/1419-empresa-chinesa-investe-em-projetos-de-energia-renovavel-no-rn

Apesar do dólar valorizado e da crise desencadeada pelo novo coronavírus em vários setores, a demanda por painéis solares no Brasil se mantém alta, conforme revela publicada no jornal Folha de São Paulo.

Mesmo assim, segundo a consultoria Greener, a demanda por geração de energia solar deve continuar forte. De janeiro a novembro de 2020, o país importou 4,37 GWp, de 4,1 GWp em 2019.

Ainda de acordo com a reportagem, os preços médios na maioria das tecnologias apresentam elevação, e a tendência deverá se acentuar no primeiro trimestre de 2021.

Para a Ágora Investimentos, a notícia é muito positiva para os negócios da Weg (WEGE3), uma vez que a empresa tem presença nacional para fornecer soluções de geração distribuída de energias renováveis para clientes residenciais e também para parques solares…

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/quanto-mais-energia-solar-o-brasil-tiver-melhor-e-para-a-weg/

Brennand Energia investirá mais R$ 629 mi na Bahia

A Brennand Energia anunciou que pretende investir um total de R$ 629 milhões em quatro parques eólicos e um solar no município de Sento Sé (BA).  O protocolo de intenções foi firmado com o governo baiano na última terça-feira, 29 de dezembro, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE).

De acordo com comunicado da secretaria estadual, a companhia estima que sua primeira planta solar na Bahia, UFV Sol do São Francisco I, entre em operação já em abril do próximo ano e tenha capacidade instalada de produção de até 98,1 GWh/ano. Já os parques eólicos Morro Branco II e Baraunas IV, XV e XX tem previsão de começar a funcionar entre março e maio de 2022., totalizando 661,3 GWh/ano de energia.

Segundo a Brennand, as obras civis dos cinco empreendimentos já foram iniciadas. A empresa possui dez usinas eólicas em operação e uma em construção, todas em Sento Sé, onde já investiu mais de R$ 1,3 bilhão em 341 MW de capacidade instalada e ainda estuda o potencial em mais dois municípios no estado, Campo Formoso e Juazeiro.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53159732/brennand-energia-investira-mais-r-629-mi-na-bahia

Setor elétrico tem 12 empresas na carteira do Índice Carbono Eficiente

A B3 anunciou na segunda-feira, 4 de janeiro, a 11ª carteira do Índice Carbono Eficiente (ICO2 B3), que vigora até 30 de abril de 2021. Cemig, Copel, Cosan, CPFL Energia, Eletrobras, EDP, Engie, Light, Neoenergia, Petrobras e Cteep, além da fabricante de equipamentos WEG, são as empresas do setor que fazem parte. O índice foi criado em 2010 e tem como propósito ser um instrumento indutor das  discussões  sobre  mudança  do  clima  no  Brasil. Na carteira anterior, apenas Cemig e Eletrobras estavam inseridas.

Esta é a primeira carteira a contemplar empresas pertencentes ao IBrX 100 que apresentaram formalmente seus inventários de emissões de gases de efeito estufa à B3 em 2020. Até então, eram convidadas apenas as empresas que faziam parte do IBrX 50, ou seja, as detentoras das 50 ações mais negociadas da bolsa.

A nova carteira reúne 62 ações de 58 companhias pertencentes a 22 setores. Juntas, as companhias somam R$ 3,3 trilhões em valor de mercado, 63,63% do total das companhias com ações negociadas na B3, com base no fechamento de 30 de dezembro de 2020. Além disso, o número de empresas é 132% maior em relação à carteira que vigorou em 2020, que tinha 26 ações, de 25 companhias…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53159800/setor-eletrico-tem-12-empresas-na-carteira-do-indice-carbono-eficiente

Vestas e European Energy fecham acordo para 21 aerogeradores

A multinacional dinamarquesa Vestas recebeu um pedido da European Energy, em parceria com a Eólica Tecnologia, para o fornecimento e instalação de 94,5 MW em turbinas eólicas. Os equipamentos são destinados aos projetos Ouro Branco e Quatro Ventos, ambos em Pernambuco, nos municípios de Poção e Macaparana, ofertados no leilão de energia nova A-6, realizado em 2017.

Segundo as partes, o acordo também prevê serviços de operação e manutenção feitos pela fabricante nos próximos dez anos, com possibilidade de renovação por igual período. A entrega das unidades está prevista para meados de 2022 e o comissionamento deve ocorrer no final do mesmo ano.

Ao todo, serão instaladas 21 turbinas com potência otimizada de 4,5 MW para a V150-4,2 MW, configurando os primeiros projetos no Brasil a contar com este modelo, que integra parte da plataforma 4 MW da Vestas.  Os aerogeradores têm torres com 120 metros de altura e pás com 73,7 metros de comprimento.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53159701/vestas-e-european-energy-fecham-acordo-para-21-aerogeradores