04/07/2022

Copel lança funcionalidade de rede inteligente em aplicativo

O consumidor que já tem medidor inteligente da Copel instalado e em completo funcionamento agora pode acessar uma nova funcionalidade no aplicativo: a rede elétrica inteligente. Com ela, é possível consultar a quantidade de kWh consumida a cada dia e estimar o total de consumo do mês, antes do fechamento da fatura. A nova funcionalidade é um dos passos para a consolidação da rede elétrica inteligente no Paraná.

De acordo com a Copel, os medidores inteligentes representam um avanço tecnológico com vantagens para todo mundo. Até o momento, a Copel instalou 370 mil medidores inteligentes em 73 cidades das regiões Centro-Sul, Sudoeste e Oeste do Paraná. Até outubro deste ano, serão 462 mil medidores instalados, com um investimento de R$ 252 milhões e benefício direto a 1,5 milhão de paranaenses.

A companhia informou que a implantação da rede elétrica inteligente é uma atualização tecnológica feita com recursos da companhia, sem custo adicional aos consumidores. Pelo aplicativo também é possível consultar gráficos de consumo do mês, comparados com o mesmo mês do ano anterior. Com base nos dados de consumo já medido, a tela também mostra uma estimativa de quanto vai dar o consumo naquele mês corrente. A funcionalidade está disponível e aparece no menu do aplicativo apenas para as unidades consumidoras que estão com a leitura remota ativa. Dos 370 mil medidores inteligentes instalados em todo o Paraná, 200 mil já têm comunicação estável com atualização diária de consumo.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53217161/copel-lanca-funcionalidade-de-rede-inteligente-em-aplicativo

Cemig entrega 19 subestações para população mineira

A Cemig está entregando 19 subestações (SEs) em diferentes regiões do estado de Minas Gerais. As instalações passarão a integrar o parque de SEs da companhia, aumentando a capacidade de atendimento para milhões de clientes da empresa.

As unidades novas e/ou ampliadas fazem parte do Programa Mais Energia, lançado em setembro de 2021, que consiste na construção de 200 subestações mais modernas e potentes até 2027. Essas novas unidades serão as primeiras que estarão interligadas ao sistema de distribuição da empresa, ampliando a potência instalada.

De acordo com a Cemig, para todo o programa estão sendo destinados R$ 5 bilhões para a construção das novas instalações e linhas de alta tensão que irão conectá-las à rede de distribuição, além de obras de reforços nas redes de média tensão na área de concessão da empresa. Só para essas 19 subestações, que passarão a somar ao sistema de distribuição, o investimento é da ordem de R$ 310 milhões...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53217140/cemig-entrega-19-subestacoes-para-populacao-mineira

Os fornecedores de energia norte-americanos estão enfrentando escassez decorrente do aumento da pressão na rede energética devido às temperaturas recordes, à medida que as pessoas aumentam o uso de ar condicionado, informou a Reuters na última quarta-feira (29).

De acordo com dados da Refinitiv, o clima nos EUA tem sido cerca de 21% mais quente do que a média dos últimos 30 anos.

"Agências federais responsáveis pela confiabilidade de energia, como a Comissão Federal Reguladora de Energia [FERC, na sigla em inglês], alertaram que as redes na metade oeste do país podem enfrentar problemas de confiabilidade neste verão, à medida que os consumidores ligam os aparelhos de ar condicionado para escapar do calor", afirma o relatório.

As empresas de energia estão preocupadas em não conseguirem encontrar as peças de reposição para consertar os equipamentos com rapidez suficiente para evitar interrupções no serviço, com algumas delas já relatando problemas devido ao calor. O Conselho de Confiabilidade Elétrica do Texas (ERCOT, na sigla em inglês), por exemplo, teve de pedir aos clientes que reduzissem o uso de energia e aumentassem a temperatura dos condicionadores de ar depois que seis usinas ficaram offline durante uma onda de calor em meados de maio…

Fonte: Brasil 247

Leia mais em:

https://www.brasil247.com/mundo/empresas-de-energia-dos-eua-se-preparam-para-crise-de-fornecimento-diz-midia

Com 13 novas termelétricas, região Norte produzirá mais energia que Itaipu

As cidades de Campos dos Goytacazes, São João da Barra e Macaé contam com usinas termelétricas ligadas ao Sistema Elétrico Nacional. São Francisco de Itabapoana já possui licença prévia para construção de uma unidade. Investimentos no setor colaboram com o abastecimento de energia do país, além de criar oportunidades de empregos e movimentar a economia da região. Macaé, por exemplo, terá sua terceira usina termelétrica a partir de 2023. Outras 10 unidades têm licenças prévias para serem erguidas nos próximos anos. Isto fará da região um dos maiores parques energéticos do país, com capacidade semelhante ao da hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu. Milhares de empregos deverão ser criados. Apesar da expectativa de desenvolvimento, há setores preocupados com impacto ambiental e o alto custo para manter as termelétricas que acabam refletindo no bolso do consumidor, na hora de pagar a conta de luz. O desenvolvimento econômico está diretamente ligado ao consumo de energia elétrica, responsável pelo funcionamento da indústria, comércio, agricultura, universidades e de residências, entre outros segmentos. No Brasil, as usinas hidrelétricas representam 62% da capacidade instalada de geração de energia elétrica do país. Segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), as usinas termelétricas, solares, eólicas e nucleares respondem por 38%...

Fonte: Jornal Terceira Via

Leia mais em:

https://www.jornalterceiravia.com.br/2022/07/03/com-13-novas-termeletricas-regiao-norte-produzira-mais-energia-que-itaipu/

O Brasil aumentou em 77% a geração de energia por meio de usinas termelétricas fósseis entre 2020 e 2021, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira (30) pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema).

Os dados foram publicados no Inventário de Emissões Atmosféricas em Usinas Termelétricas, documento que analisa o desempenho das unidades de serviço público que integram o Sistema Interligado Nacional (SIN), responsável por abastecer boa parte do país.

Em 2020, as 72 termelétricas fósseis conectadas ao SIN produziram 54,1 Terawatt-hora (TWh) de eletricidade. No ano seguinte, o número chegou a 96 TWh. De acordo com o Iema, o número de usinas em 2021 cresceu, mas o instituto não possui os dados precisos desse aumento.

A energia gerada nessas unidades subiu 177% entre 2000 e 2020. O número saltou de 30,6 TWh para 84,8 TWh neste período.

Na matriz energética nacional, a participação das fontes fósseis passou de 9% em 2000, para 14% em 2020. Para o pesquisador Felipe Barcellos, do Iema, o crescimento se dá, principalmente, por dois fatores: aumento da demanda por energia, que não foi acompanhada pela oferta, e as repetidas crises hídricas no país...

Fonte: CNN Brasil

Leia mais em:

https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/producao-de-energia-por-termeletricas-cresce-77-em-2021-aponta-estudo/

Amazonas Energia quer impedir sanção de projeto que proíbe novos medidores

A Amazonas Energia pede, no TJAM (Tribunal de Justiça do Amazonas), que o governador Wilson Lima (União Brasil) seja impedido de sancionar um projeto de lei que proíbe a instalação dos novos medidores de energia elétrica no estado. A propositura foi aprovada na Assembleia Legislativa do Amazonas no dia 22 de junho e foi enviada para o governador no dia seguinte.

A concessionária sustenta que o Projeto de Lei nº 267/2022, de autoria dos deputados estaduais Sinésio Campos (PT), Carlinhos Bessa (PV) e Fausto Júnior (MDB), foi aprovado de “forma passional e açodada”, sem debates e atropelando etapas previstas no regimento interno da Casa. “Poderá causar danos sem precedentes à toda população do Estado”, alega a Amazonas Energia.

O projeto de lei proíbe a concessionária de instalar os medidores do SMC (Sistema de Medição Centralizada), que já estavam sendo instalados em Manaus, ou “Sistema Remoto Similar”. A propositura prevê multa de 35 salários mínimos em caso de descumprimento da norma. Esse valor será revestido ao Fundecon (Fundo Estadual de Defesa do Consumidor do Amazonas)…

Fonte: Amazonas Atual

Leia mais em:

https://amazonasatual.com.br/amazonas-energia-quer-impedir-sancao-de-projeto-que-proibe-novos-medidores/

A Academia de Tecnologia Espacial da China planeja construir uma estação espacial de geração de energia solar. Segundo a Universidade de Xidian, na China, foi finalizado o primeiro sistema de testes em território espacial.

O projeto é de liderança de Duan Baoyan, especialista chinês em sistemas espaciais de energia solar e a estimativa de conclusão está prevista para o ano de 2030.

Com a iniciativa, a China busca a captação da energia solar para o seu uso em períodos em que o planeta Terra esteja com baixa ou nenhuma incidência solar, além de viabilizar a realização de pesquisas científicas próprias no setor da física, por exemplo.

Além de ser o primeiro sistema totalmente instalado em solo para a produção de energia solar baseada no espaço, o sistema é formado por uma estrutura de ferro com 75 metros de altura, projetada para a captação de energia solar e convertê-la em corrente elétrica contínua (CC), transformada em micro-ondas transmitidas por uma antena a uma distância de 55 m.

Entre os testes realizados pela estrutura, estão os testes com tecnologias para a concentração de luz, conversão fotoelétrica e a conversão de energia em micro-ondas, que serão utilizadas no sistema SSPS-OMEGA (Orb-Shape Membrane Energy Gathering Array), a fim de gerar eletricidade no espaço. pensado para gerar eletricidade no espaço.

A instalação foi aprovada durante uma inspeção de aprovação no início do mês de junho deste ano.

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/china-finaliza-sistema-de-testes-para-geracao-de-solar-no-espaco/

Light pretende prosseguir com plano de ação de combate às perdas

Até definir quem será o seu próximo CEO, a Light pretende prosseguir com seu plano de ação, que foi aprovado pelo Conselho de Administração e tem como foco a estratégia de combate às perdas.

De acordo com a Light, a estratégia adotada pela atual gestão de fortalecer o combate às perdas, melhorar os indicadores de continuidade do serviço e fazer a transformação digital tem dado resultados. Mesmo em um contexto socioeconômico desafiador, em um ano, a companhia melhorou em 1,2 p.p. a sua arrecadação.

“O plano de ação da Light, que inclui o combate às perdas e a melhoria da arrecadação, foi aprovado pelo Conselho. Os pilares deste plano já foram solidificados na gestão de Nonato de Castro e pela diretoria, que segue na Companhia. Os recentes resultados da empresa mostram que estamos no rumo certo, enfrentando os desafios peculiares da nossa área de concessão”, disse o CEO interino da companhia, Wilson Martins Poit.

Entre os anos de 2020 e 2021, a Light investiu mais de R$ 450 milhões no combate às perdas. O resultado desse aporte foi o registro do quarto trimestre seguido com redução de perda no 1º tri de 2022. O indicador de perdas totais (em 12 meses) registrou queda de 90 GWh nas perdas, encerrando o trimestre em 26,59%...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53217134/light-pretende-prosseguir-com-plano-de-acao-de-combate-as-perdas