04/05/2022

Prysmian investe R$ 150 mi e volta a fabricar cabo isolado 138 kV no Brasil

O Grupo Prysmian anunciou na última terça-feira, 03 de maio, que voltará a fabricar o cabo isolado 138 kV no Brasil. A empresa investiu mais de R$ 150 milhões nos últimos cinco anos para atualizar e expandir as instalações que devem fabricar esse modelo de cabo que é considerado um dos mais importantes dentro da categoria de Alta Tensão (HV).

“Resultado de um elevado investimento, o processo de fabricação de cabos isolados na classe de tensão 138kV é bastante complexo. Não é qualquer processo de fabricação que consegue produzir um cabo neste nível de isolamento e não é qualquer fábrica que possui um laboratório capaz de realizar os ensaios na tensão requerida pelos padrões internacionais. Além das oito fases de produção, testamos e certificamos este cabo em ensaios que chegaram a 650 kV”, explica Thiago Bragagnolle, engenheiro sênior de produtos do Grupo Prysmian.

De acordo com a empresa, o cabo isolado 138 kV pode ser fabricado em condutores de cobre ou alumínio. A capa pode ser feita de High-density polyethylene (HDPE), polímero termoplástico conhecido em português como polietileno de alta densidade, ou composto livre de halógenos e com baixa emissão de fumaça...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53210326/prysmian-investe-r-150-mi-e-volta-a-fabricar-cabo-isolado-138-kv-no-brasil

Sun Mobi e CDL Jundiaí firmam parceria e ampliam acesso à energia solar por assinatura

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Jundiaí, SP, e a Sun Mobi, enertech especializada no modelo remoto de usinas compartilhadas a partir da tecnologia fotovoltaica, anunciaram uma parceria para ajudar a reduzir os gastos na conta de luz dos comerciantes da região. A proposta é ampliar o acesso à energia solar por assinatura para pequenos e médios negócios do município e trazer benefícios exclusivos para os membros da Câmara.

O serviço de assinatura de energia solar, que pode ser contratado da mesma forma como é feito com a internet ou a TV à cabo, é atualmente uma das grandes apostas de empresas de comércio e serviço, como restaurantes, padarias, açougues e mercados, entre outros, para fugir da inflação energética e das bandeiras tarifárias, já que permite o uso de uma fonte limpa, barata e renovável sem necessidade de investimento no telhado ou num pequeno terreno. A parceria, efetivada em março deste ano a partir da associação da Sun Mobi à CDL Jundiaí, garante isenção aos associados da entidade do serviço de diagnóstico de eficiência energética feito pela empresa aos clientes de assinatura de energia solar, que custa em torno de R$ 2 mil...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53210320/sun-mobi-e-cdl-jundiai-firmam-parceria-e-ampliam-acesso-a-energia-solar-por-assinatura

A Enel SP, em conjunto com a Polícia Civil, realizou a 1ª edição da operação Energia Legal, na semana passada, no bairro do Rio Pequeno, zona Oeste da capital, onde identificou 176 irregularidades na medição de energia de estabelecimentos comerciais e residenciais. Duas pessoas foram presas em flagrante.

A distribuidora alerta que fraudes e furtos são crimes previstos no Código Penal, e a pena pode variar de um a oito anos de detenção. Cometem crime tanto as pessoas que executam fisicamente a fraude nas instalações quanto os titulares das contas de energia. A prática também contribui para tornar a conta de luz mais cara para todos os consumidores. Isso ocorre porque a Aneel reconhece nas tarifas uma parte das chamadas “perdas comerciais”, como são denominados tecnicamente os furtos e as fraudes no jargão do setor elétrico...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53210347/enel-sp-identifica-176-irregularidades-durante-operacao-energia-legal

GE integra consórcio que vai modernizar turbinas de Itaipu

As divisões de Hydro e Grid Solutions da GE Renewable Energy fecharam um contrato em conjunto para realizar a atualização tecnológica da usina Itaipu Binacional. O Consórcio CMI, liderado pela GE Hydro Solutions e composto pelas empresas paraguaias CIE e Tecnoedil, será responsável pela atualização da usina.

O projeto, considerado o maior já realizado nas instalações da hidrelétrica desde a sua inauguração, há quase 40 anos, está previsto para durar 14 anos e tem como objetivo principal a atualização tecnológica de Itaipu. A atualização será feita em equipamentos e sistemas de todas as 20 unidades geradoras, além de melhoras nos sistemas de medição, proteção, controle, regulação e supervisão da hidrelétrica.

De acordo com Cláudio Trejger, Presidente & CEO da divisão de Hydro da GE Renewable Energy para América Latina, a GE vai trabalhar para otimizar ainda mais as operações da usina, permitindo que a Itaipu Binacional aproveite ao máximo seus ativos e recursos e atenda à demanda por energia limpa nos dois países. Viveka Kaitila, Presidente da GE Brasil, se mostra orgulhosa por ter os times da empresa liderando a mais importante modernização já realizada em uma das maiores usinas hidrelétricas do mundo. Ela lembra que a fabricante de equipamentos tem uma história com Itaipu desde o início, atuando na construção da usina…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53210369/ge-integra-consorcio-que-vai-modernizar-turbinas-de-itaipu

A diretoria da Aneel homologou o resultado do Leilão de Reserva de Capacidade de 2021 para a termelétrica a biomassa Cidade do Livro. O empreendimento. que pertencente à Usina Termelétrica Lençóis Paulista, teve sua habilitação confirmada após a desistência do empreendedor de assinar contratos negociados no leilão de energia nova A-5 de 2021.

O projeto do interior de São Paulo se soma a nove usinas a gás que negociaram contratos no certame e já tinham sido habilitadas pela agência reguladora.

A Aneel também manteve nesta terça-feira, 3 de maio, a desclassificação das UTEs a óleo diesel e a óleo combustível Global I e II, da Companhia Energética Candeias; Potiguar e Potiguar III, da Companhia Energética Potiguar ; e Geramar I e II, da Gera Maranhão. Todas tiveram a habilitação técnica invalidada, após a suspensão da liminar que garantiu a participação dos empreendimentos no leilão.

No caso da UTE Viana, que também entrou no certame com decisão judicial, a agência determinou que será feita a convocação de outro empreendedor para substituir o projeto.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53210361/aneel-homologa-habilitacao-de-termica-no-leilao-de-capacidade

Climatempo irá produzir base de dados climáticos para o setor eólico e solar

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em parceria com a Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, contratou o Laboratório de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Climatempo para construir uma base de dados para o setor eólico e solar.

Conforme a EPE, a proposta é desenvolver uma plataforma digital que permitirá o acesso a dados climáticos dos últimos 40 anos e ferramentas para auxiliar o planejamento e investimentos mais eficientes nestes setores.

O programa disponibilizará informações como radiação solar, velocidade e direção do vento. Os dados serão validados por meio de técnicas estatísticas e medições observadas, de forma a assegurar que a base de dados tenha informações confiáveis para avaliar o potencial de geração de energia a partir das fontes renováveis...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/operacao-e-expansao/planejamento/climatempo-ira-produzir-base-de-dados-climaticos-para-o-setor-eolico-e-solar

Dezoito anos depois da aprovação da Lei 10.848, que criou o novo modelo do setor elétrico, o Brasil tem a chance de modernizar seu marco regulatório. O Projeto de Lei (PL) 414/2021 é tema de intenso debate e mobiliza discussões também entre os geradores termelétricos, responsáveis por 15% da capacidade de energia do País.

Com a relatoria do deputado Fernando Coelho (União-PE) – ex-ministro de Minas e Energia (MME) e político sempre aberto ao diálogo –, o PL 414 propõe aperfeiçoamentos para o setor lidar com as grandes transformações que enfrentamos. É também a oportunidade de realizar melhorias que podem colocar nosso sistema entre os mais avançados no mundo.

O PL 414 traz duas grandes mudanças. A primeira é a abertura do mercado: o consumidor poderá escolher seu supridor. Mudança defendida por várias instituições, entre elas a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia Elétrica (Abraceel) e nós, da Associação Brasileira de Geradoras Termelétricas (Abraget)…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=346076&sid=105

Consideradas um dos melhores ativos de energia à venda no mundo, as linhas de transmissão da Quantum atraíram mais de uma dezena de interessados, a maioria de estrangeiros. Seis companhias foram selecionadas para a próxima etapa da venda da empresa, que pertence à gestora canadense Brookfield Asset Management. O negócio é estimado entre R$ 3,5 bilhões e R$ 4 bilhões, mas com a dívida na conta, o valor total chega à casa de R$ 7 bilhões. A expectativa é de que o negócio seja fechado antes das eleições. A China Southern Power Grid (CSPG), que teve algumas tentativas frustradas de entrar no País, está entre as escolhidas. Com uma oferta em linha ao que busca o vendedor, seu desafio é correr para cumprir os ritos impostos pelo governo chinês, antes de conceder aval para negócios no exterior.

Há outros estrangeiros na briga

A CSPG disputará os ativos com o Grupo de Energia de Bogotá e a Rede Eléctrica de Espanha, que compraram a Argo Energia em 2019. Os fundos Caisse de Dépôt et Placement du Québec (CDPQ) e o Ontario’s Teachers Pension Fund (OTPP) também apresentaram propostas que os elegeram para concorrer pela linha…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=346075&sid=105

Copel Mercado Livre completa seis anos com liderança no setor

Criada em abril de 2016, a Copel Mercado Livre chega ao sexto ano de atividade na posição de maior comercializadora do Brasil. Em 2021, a empresa comercializou 31.830 MW med no ano e conquistou a maior participação no mercado: 4,7% do total, em um segmento do qual participam mais de 400 comercializadoras. Os dados integram relatório divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.

Segundo o diretor-geral da Copel Mercado Livre, Fillipe Henrique Neves Soares, em um período relativamente curto a empresa atingiu resultados bastante satisfatórios, que mostram a competência das nossas equipes e comprovam a qualidade que é referência do grupo Copel.  O número de consumidores atendidos pela Copel Mercado Livre no final do primeiro ano de sua criação era de 23 clientes. Atualmente, atende mais de 2 mil clientes – quase 100 vezes mais do que no primeiro ano – e está presente em 23 estados nacionais. Como parte da estratégia de crescimento, a empresa modernizou processos e tem investido na digitalização das atividades…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53210110/copel-mercado-livre-completa-seis-anos-com-lideranca-no-setor

A Enel Goiás revelou em comunicado que o seu controlador, o Grupo italiano Enel, está avaliando manifestações de interesse em potencial venda das ações que possui na distribuidora. De acordo com o comunicado, a operação é uma decisão que cabe apenas aos seus acionistas e que não há nenhum tipo de acordo, oferta ou proposta vinculante de alienação de ações da Companhia ou seus ativos.

“A Companhia reitera que a conveniência e oportunidade de alienação das ações de sua emissão é decisão que cabe exclusivamente aos seus acionistas e que, conforme ratificado por seu acionista controlador, não há atualmente qualquer acordo, oferta ou proposta vinculante de alienação de ações da Companhia ou seus ativos”, diz o comunicado.

Ainda de acordo com o comunicado, qualquer tipo de operação vai depender da obtenção das aprovações necessárias e observará os termos da regulamentação aplicável caso seja necessário. Segundo a Enel Goiás, o mercado será avisado dos próximos passos...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53210133/enel-admite-interesse-em-vender-distribuidora-de-goias