04/03/2022

Privatização da Eletrobras: área técnica do TCU deve concluir 2ª etapa da análise em dez dias

A área técnica do Tribunal de Contas da União (TCU) espera concluir a análise da segunda etapa da privatização da Eletrobras na próxima semana, ou no mais tardar no início da semana do dia 14, segundo fontes do Tribunal disseram ao Estadão/Broadcast. A segunda etapa envolve a análise da modelagem da operação, reestruturação societária da empresa e definição do preço mínimo das ações.

De acordo com membros da Corte de Contas, o processo relacionado à segunda etapa está "amadurecendo" e quase pronto para ter o parecer final enviado ao ministro-relator da privatização no plenário, Aroldo Cedraz.

Nesta quinta-feira, 3, os técnicos do TCU receberam uma série de informações prestadas pelo Ministério de Minas e Energia, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE)...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=344983&sid=105

Europa atua para reduzir dependência da Rússia no setor de energia

A Europa luta para reduzir sua dependência da Rússia no setor de energia, enquanto se prepara para potenciais problemas na abastecimento crucial de gás natural e a guerra da Rússia na Ucrânia leva os preços a novas máximas. Os preços do gás natural atingiram novo recorde nesta quinta-feira pelo segundo dia consecutivo, com restrições sobre o petróleo e o gás vistas cada vez mais como uma possibilidade, no oitavo dia de confronto – seja por sanções do Ocidente ou retaliação russa.

Isso poderia significar ainda mais impacto para o orçamento das pessoas: os preços de energia estão elevados há meses por causa dos baixos estoques, o que eleva custos de uma série de itens, desde a própria conta de energia até doces, com os negócios repassando custos aos clientes.

O preço do gás está dez vezes acima do nível do início de 2021. Mas ele continua a fluir pelos gasodutos da Rússia para a Europa, inclusive aqueles que passam pela Ucrânia, segundo empresas do setor...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/mercados/europa-atua-para-reduzir-dependencia-da-russia-no-setor-de-energia/

Equatorial (EQTL3) conclui compra da Echoenergia, de energia renovável, por R$ 7,034 bilhões

A Equatorial Energia (EQTL3) informou, em comunicado encaminhado ao mercado na noite de quinta-feira (3), que firmou contrato com o Ipiranga Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, sob a gestão da Actis, para adquirir a Echoenergia, que atua com projetos de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis.

A operação foi informada no fim de outubro do ano passado.

Assim, a Equatorial se tornou titular de 100% das ações representativas do capital social de Echoenergia, e pagou o valor total de R$7.034.084.199,30.

Esse valor representa o que fora informado em fato relevante após correção pela variação do CDI e ajustes usuais de fechamento em operações dessa natureza (dentre outros, variação de endividamento líquido e de capital de giro líquido), observado que tal valor permanece sujeito a novos

ajustes positivos ou negativos após a conclusão, nos termos do contrato...

Fonte: Space Money

Leia mais em:

https://www.spacemoney.com.br/geral/equatorial-eqtl3-conclui-compra-da-echoenergia-de-energia/178267/

Pela primeira vez, energia solar no Brasil supera hidrelétrica de Itaipu

O Brasil acaba de ultrapassar a marca de 14 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia elétrica em telhados, fachadas e pequenos terrenos. Com isto, a fonte solar supera a potência instalada da usina hidrelétrica de Itaipu, segundo mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

De acordo com a entidade, a fonte solar já trouxe ao Brasil mais de R$ 74,6 bilhões em novos investimentos, R$ 20,9 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 420 mil empregos acumulados desde 2012. Foi evitada ainda a emissão de 18,0 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Para o CEO da ABSOLAR, Rodrigo Sauaia, o avanço da energia solar no País, via grandes usinas e pela geração própria em residências, pequenos negócios, propriedades rurais e prédios públicos, é fundamental para o desenvolvimento social, econômico e ambiental do Brasil. “A fonte ajuda a diversificar o suprimento de energia elétrica do País, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco de ainda mais aumentos na conta de luz da população”, comenta…

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/esg/pela-primeira-vez-energia-solar-no-brasil-supera-hidreletrica-de-itaipu/

SMA anuncia inversor híbrido Sunny Tripower Smart Energy no Brasil

O inversor híbrido SMA Sunny Tripower Smart Energy já está disponível ao mercado brasileiro. O anúncio foi feito pela fabricante nesta quinta-feira (4).

Segundo a companhia, o equipamento está disponível em quatro classes de potência (5 kW, 6 kW, 8 kW e 10 kW) e é direcionado para utilização em residências.

“Com o Sunny Tripower Smart Energy, a SMA deu mais um passo importante no caminho para um fornecimento de energia independente, econômica e amiga do clima”, afirma Jan Van Laethem, vice-presidente executivo da unidade de negócios Home Solutions da SMA.

Ainda de acordo com a fabricante, o novo inversor amplia o leque de possibilidades oferecidas pelo SMA Energy System Home. “Trata-se de um kit compacto, modelo 2 em 1, que permite que residências e pequenas empresas usem energia fotovoltaica autogerada de forma ainda mais flexível”, informou a empresa em comunicado à imprensa…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/sma-anuncia-inversor-hibrido-sunny-tripower-smart-energy-no-brasil/

Enedis leads SF6 alternative development for next-gen substations

SF6 (sulphur hexafluoride), widely used for its high insulating and dielectric properties in equipment such as switchgear and transformers in MV/LV substations, is one of the most potent greenhouse gases and one of the six targeted in the Kyoto Protocol as well as being harmful to health.

The initiative will utilise Schneider Electric’s RM AirSeT RMU switchboards, a new air-based technology that is SF6 free, with two units to be installed at Enedis’s R&D laboratory.

Over a period of 18 months, the behaviour of the equipment will be evaluated in different electrical configurations and in conditions similar to those encountered in real-world operations.

“Enedis has made a commitment to reduce its carbon footprint by 20% by 2025. This project should allow us to innovate to develop industrial solutions that respect the environment with a view to their industrialisation,” says Marianne Laigneau, Chairman of the Management Board of Enedis...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/energy-grid-management/enedis-leads-sf6-alternative-development-for-next-gen-substations/

EUA impõem novas sanções econômicas à Rússia, com foco no setor de energia

As sanções do Ocidente contra a Rússia após a invasão da Ucrânia atingiram novo patamar nesta quarta-feira. Os Estados Unidos anunciaram restrições ao país que incluem “exportações de tecnologia” no setor de refino de petróleo.

De acordo com a Casa Branca, as ações podem ajudar Washington a alcançar o objetivo de “degradar o status da Rússia como principal fornecedor de energia ao longo do tempo”. A iniciativa marca o passo mais significativo já adotado para alcançar o setor que é considerado a força vital da economia russa.

Os EUA alertaram para o fato de que poderiam bloquear o petróleo russo caso Moscou intensifique o ataque contra a Ucrânia, mas o governo de Joe Biden ainda avalia a dimensão que a medida poderia ter para o mercado de energia global. “A opção está na mesa, mas precisamos pesar quais impactos terá”, disse Jen Psaki, porta-voz da Casa Branca à MSNBC...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=344954&sid=105

Voith conclui compra de ações de joint venture com Siemens Energy

No último dia 1º de março de 2022, a Voith concluiu a aquisição das ações remanescentes da Voith Hydro de sua ex-sócia de joint venture Siemens Energy. Em outubro de 2021, Voith e Siemens Energy fecharam um acordo pelo qual a Voith assumirá os 35% restantes da antiga Voith Siemens Hydro Power Generation GmbH & Co. KG. A transação fará do Grupo Voith o único proprietário da Divisão Voith Hydro, que antigamente era operada como uma joint venture. Ambas as partes concordaram em não divulgar os detalhes financeiros da transação.

Toralf Haag, CEO do Grupo Voith, se mostrou satisfeito por ter concluído a aquisição conforme planejado. Com este passo, ele espera avançar na estratégia de fortalecer as principais áreas de negócios no sentido de tecnologias sustentáveis. Segundo ele, como fornecedora completa de tecnologia hidrelétrica, a empresa tem uma posição ideal para explorar o potencial da hidreletricidade na matriz de energias renováveis e com isso, dá uma significativa contribuição para a transição energética no sentido de energias renováveis e para a descarbonização da indústria...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53204053/voith-conclui-compra-de-acoes-de-joint-venture-com-siemens-energy

EDP e Abradee cancelam Sendi 2022

A EDP e a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica comunicaram em nota o cancelamento do XXIV Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica – Sendi 2022, previsto para acontecer em junho de 2022 em Vitória (ES). Segundo a nota à imprensa, a decisão foi motivada pelas muitas incertezas geradas pelo atual estágio da pandemia, que poderão levar a maiores restrições a eventos no decorrer do ano.

Em nota enviada aos parceiros, colaboradores, congressistas inscritos e patrocinadores, a EDP e o Instituto Abradee atribuíram a suspensão do Sendi 2022 à elevada transmissibilidade da variante Ômicron do coronavírus, que tem causado o aumento no número absoluto de casos e de óbitos a níveis não identificados desde março de 2020.

No comunicado, a organização agradeceu aos parceiros, congressistas, patrocinadores e convidados e informou que entrará em contato em breve para as providências necessárias. Informações também estarão disponíveis na página do evento. A EDP informou ainda na nota que está em negociação com o Instituto Abradee para realizar o evento em 2023 no Espírito Santo.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53203877/edp-e-abradee-cancelam-sendi-2022