03/11/2021

Concessionária opta por circuit-switchers montados em torres de distribuição em alta tensão

A concessionária estatal CELESC, no sul do Brasil, atende a 92% do estado de Santa Catarina, com mais de 3 milhões de consumidores em uma área de serviço totalizando 95.700 quilômetros quadrados. Sua extensa linha de distribuição em 138 kV atende não somente suas subestações distribuidoras como também as subestações de grandes clientes industriais.

Devido às menores tarifas em kWh na medição primária em 138 kV, a CELESC recebe entre duas e cinco solicitações anuais de grandes consumidores industriais com o objetivo de realizar conexão ao sistema de distribuição em alta tensão da concessionária. Essas conexões requerem que os clientes construam uma subestação de manobra para interconexão com o sistema da concessionária.

Devido ao seu tamanho, as subestações de manobra não podem, na maioria dos casos, ser localizadas na propriedade do cliente. Geralmente isso leva a empresa cliente a adquirir um terreno adicional adjacente à linha de distribuição em alta tensão. A propriedade pode ter uma área de até 3.000 metros quadrados e pode conter um significativo número de equipamentos...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53192015/concessionaria-opta-por-circuit-switchers-montados-em-torres-de-distribuicao-em-alta-tensao

Enel Brazil applies augmented reality in Electrician 4.0 concept

Electrician 4.0 refers to professionals that are skilled to work with technological innovations including grid automation and IT solutions to digitalise and simplify energy sector processes, according to Enel Brazil.

Enel Distribución São Paulo has identified more than 50 assets and technology failures within the medium and high voltage network before disruptions to the operations of the grid. The milestone was achieved within 6 months from the date of technology adoption.

The augmented reality uses remote assistance and a smartphone to provide Enel’s employees with a map or clear view of events happening within the distribution network. The technology is able to detect anomalies and help electricians to identify the location and cause of the abnormality.

The technology helps reduce the number and occurrence of power outages, improves employee safety and optimise management and maintenance of grid assets, leading to improved power quality and increased assets lifespan, according to a statement...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/digitalisation/enel-brazil-applies-augmented-reality-in-electrician-4-0-concept/

Smart metering key factor in global digital grid market growth – report

The global digital grid solutions market will expand owing to first and second-generation smart metering deployments in China, North America and Europe and other factors including advancements in digital technologies, climate change policies and ageing infrastructure, according to the report.

Frost & Sullivan’s Global digital grid growth opportunities report states that the market will record a 1.2% compound annual growth rate between 2020 and 2030. Revenue generation is anticipated to increase from $8.15 billion in 2020 to $9.21 billion by 2030.

The report states that China will generate the highest revenue owing to the replacement of first-generation smart meters followed by North America as utilities in the region increase the installation of second-generation smart metering devices. Smart meter rollouts in Europe are also expected to contribute to the growth of the digital grids solutions market in the region.

The market in the Asia Pacific – which will hold the fourth spot – is expected to be driven by the electrification of grid and transportation systems, according to the study. Utilities in the region are expected to deploy digital grid solutions to manage renewable energy resources and electric vehicles...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/smart-metering-key-factor-in-global-digital-grid-market-growth-report/

Emissões de gases de efeito estufa do setor de energia diminuem em 4,5% no Brasil em 2020

Um estudo do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG), do Observatório do Clima, feito com cinco setores da economia que respondem pelas emissões do Brasil, mostrou que o setor de energia no Brasil teve uma redução de 4,5% das emissões de gases de efeito estufa.

Os outros setores analisados foram agropecuária, processos industriais e uso de produtos e mudanças de uso da terra e florestas. Na média geral, o Brasil seguiu no sentido contrário da tendência mundial com um aumento de 9,5% nas emissões de gases poluentes em 2020, em plena pandemia de covid-19, enquanto a média global de emissões sofreu uma redução de 7% devido à pandemia. O SEEG calculou em 2,16 bilhões de toneladas de gás carbônico equivalente (GtCO2e) as emissões nacionais brutas no ano passado, contra 1,97 bilhão em 2019.

No estudo, o setor de energia considera a queima de combustíveis em atividades como transportes, indústria e geração de eletricidade. O segmento respondeu por 18% das emissões do país em 2020 e teve uma queda forte de 4,6% em relação ao ano anterior. Isso ocorreu em resposta direta à pandemia, que nos primeiros meses de 2020 reduziu o transporte de passageiros, a produção da indústria e a geração de eletricidade. Com quase 394 milhões de toneladas de CO2, o setor energético retornou aos patamares de emissão de 2011…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53192322/emissoes-de-gases-de-efeito-estufa-do-setor-de-energia-diminuem-em-45-no-brasil-em-2020

Eletronorte terá instalação de backup para serviços de telecom

A Eletronorte vai inaugurar em novembro uma instalação de backup do Centro de Gerência de Redes de Telecomunicações da empresa, que opera mais de 7 mil km de rede de fibra ótica, instalada em torres de transmissão de energia elétrica. A iniciativa é pioneira entre as companhias do setor elétrico, de acordo com o gerente do Departamento de Operação e Manutenção de Telecomunicações da estatal, Rosemberg Lobato Silva.

O primeiro Centro Backup para os serviços de telecom está sendo instalado na Subestação Guamá, em Belém (PA). No caso da transmissão, a Eletronorte mantém centros de operação em vários lugares, o que impede que algum problema em uma dessas instalações interrompa a comunicação com o Operador Nacional do Sistema.

Na parte de telecomunicações, no entanto, a existência de apenas um centro representava um risco à interrupção do monitoramento, em caso de indisponibilidade da instalação...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53192140/eletronorte-tera-instalacao-de-backup-para-servicos-de-telecom

Com abertura do mercado livre, Equatorial estuda venda de energia na baixa tensão

Os executivos do Grupo Equatorial estão de olho na possibilidade que se apresenta com a abertura do mercado livre para a baixa tensão a partir de 2024. A proposta do PL 414/2021 que tramita no Congresso prevê a migração de consumidores para o mercado livre e como a companhia tem hoje cerca de 10 milhões de clientes, um potencial mercado pode surgir.

No momento, a empresa não atua na venda da energia na baixa tensão, mas não nega que isso é uma oportunidade que pode se colocar no futuro. A Equatorial acaba de comprar a Echoenergia por R$ 6,7 bilhões em uma transação que colocou o grupo no segmento de energias renováveis. A ideia é aproveitar a comercializadora e a Solenergias – que recentemente também foi adquirida – para se posicionar na venda de energia ao varejo do setor elétrico.

“Acreditamos na evolução do mercado livre, na abertura que já está acontecendo e no valor que nossa energia incentivada tem para os consumidores pela redução de custos, quanto pela condição de energia renovável”.

A modelagem do negócio não contempla venda de energia para a baixa tensão. A empresa está exclusivamente no mercado de média e alta tensão “Quando o mercado de baixa tensão vier a abrir, isso, sim, geraria uma opcionalidade”, disse o diretor de Regulação e Novos Negócios da companhia, Tinn Amado.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53192209/com-abertura-do-mercado-livre-equatorial-estuda-venda-de-energia-na-baixa-tensao

Aquisição bilionária da Equatorial reforça meta em diversificação dos negócios

Em teleconferência com investidores, os executivos do Grupo Equatorial enfatizaram que a recente aquisição bilionária da Echoenergia faz parte do plano estratégico da companhia de aquisição e diversificação do portfólio, que inclui a entrada no segmento de geração de energias renováveis e fortalecimento da comercialização.

Desde o começo do ano a companhia estava de olho em mais de 6 gigawatts (GW) em projetos de renováveis nos últimos meses, entre empreendimentos novos e já existentes. A decisão do que comprar no mercado veio com a aquisição da Echoenergia por R$ 6,7 bilhões, a maior aquisição já realizada pela empresa, que não deu outros detalhes da transação, pois está em período de silêncio.

O presidente da empresa, Augusto Miranda, está animado com a entrada do grupo no segmento de renováveis, motivado principalmente pelo apelo ESG (Environmental, social and corporate governance, na sigla em inglês), e também pelo que ele considera um bom negócio. “Pagamos um preço atrativo para o equity com retorno de dois dígitos”, diz...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53192163/aquisicao-bilionaria-da-equatorial-reforca-meta-em-diversificacao-dos-negocios