top of page

02/02/2024

Taesa recebe licença de instalação para Pitiguari

A Taesa recebeu do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina a Licença de Instalação para os trechos da Linha de Transmissão Abdon Batista – Videira (C1/C2) e da Linha de Transmissão Abdon Batista – Barra Grande (C3), incluindo as obras de ampliação das subestações Barra Grande, Abdon Batista e Videira a serem interligadas, referentes às instalações da concessão Pitiguari Transmissora de Energia Elétrica.
Pitiguari é um empreendimento referente ao lote 10 do leilão de transmissão nº 01/2022, realizado em junho de 2022, 100% controlada pela Taesa. Pitiguari apresenta uma RAP total de R$ 21,4 milhões para o ciclo 2023-2024 e um Capex Aneel de R$ 243,2 milhões. O empreendimento está localizado no Estado de Santa Catarina, com extensão aproximada de 92,7 km de linhas de transmissão, sendo 66,7 km de circuito duplo. O prazo estipulado pela Aneel para energização é março de 2027.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53269952/taesa-recebe-licenca-de-instalacao-para-pitiguari

TCU proibe desconto automático na Tust/Tusd para projetos renováveis

A Agência Nacional de Energia Elétrica foi autorizada pelo Tribunal de Contas da União a outorgar novos projetos de geração renováveis com potência inferior a 300 MW, sem garantir, no entanto, a aplicação automática dos descontos nas tarifas de uso dos sistemas de transmissão (Tust) e de distribuição (Tusd).
O entendimento estabelecido pela corte na última quarta-feira, 31 de janeiro, é de que os geradores poderão seguir, por sua conta e risco, com a implantação dos empreendimentos, em processos de autorização nos quais o enquadramento da usina no desconto tarifário vai depender de regulamentação posterior.
A decisão é resultante de um embargo de declaração com pedido de esclarecimentos feito pela agência reguladora sobre um acórdão do TCU do ano passado. Em novembro de 2023, o tribunal proibiu a Aneel de conceder novos descontos na Tust e na Tusd para projetos de fontes incentivadas, até que agência estabelecesse critérios que tornassem eficaz o limite legal de 300 MW por usina para a concessão do benefício...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53269910/tcu-proibe-desconto-automatico-na-tust-tusd-para-projetos-renovaveis

Power Purchase Agreement: entenda o que é o PPA

As fontes renováveis estão ganhando cada vez mais relevância no cenário mundial e para que as empresas possam contribuir com a redução de emissão de gases poluentes na atmosfera existem algumas alternativas. Neste artigo, iremos explicar tudo o que você precisa saber sobre o PPA (Power Purchase Agreement), que é uma das maneiras das empresas de grande porte adotarem a energia solar de forma eficaz e econômica.
O que é PPA para energia solar?
O PPA para energia solar é um contrato de longo prazo para a compra e venda de energias renováveis. O acordo permite que produtores de energia solar comercialize energia elétrica a consumidores com preços prefixados.
O modelo PPA para energia solar é indicado para corporações de grande porte, que demandam de um grande volume de energia.
O objetivo do contrato é de viabilizar os investimentos na construção de novas usinas de energias renováveis.  Normalmente, o documento tem validade de oito a 20 anos...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/mercado/consumidor/power-purchase-agreement-entenda-o-que-e-o-ppa

ANEEL lança painel para acompanhamento da expansão da oferta de geração de energia elétrica

A partir desta quarta-feira (31/1), está disponível no Portal de Relatórios Abertos (PARA) da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) a atualização do painel RALIE, que reúne informações sobre a expansão da oferta de geração de energia elétrica. 
Com formato mais intuitivo, a ferramenta amplia o acesso aos dados de fiscalização de novas usinas em implantação e facilita o acompanhamento da expansão da oferta de geração de acordo com o ano, região, tipo de fonte de energia, entre outros filtros. 
O objetivo é aprimorar a interatividade e fornecer mais informações sobre obras de geração. 
As informações do painel são atualizadas mensalmente baseadas nas inspeções in loco nas obras das centrais geradoras e nos dados disponibilizados no Relatório de Acompanhamento de Empreendimentos de Geração de Energia Elétrica (Rapeel), que conta com a contribuição das empresas fiscalizadas para uma análise minuciosa da equipe de monitoramento...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2024/aneel-lanca-painel-para-acompanhamento-da-expansao-da-oferta-de-geracao-de-energia-eletrica#:~:text=O%20painel%20oferece%20uma%20visualiza%C3%A7%C3%A3o,contratos%20celebrados%20pelas%20empresas%20fiscalizadas.

Itaipu investe cerca de R$ 1,3 bilhão em Foz do Iguaçu

O programa Itaipu Mais que Energia, lançado em 2023, alcançou a marca de R$ 1,3 bilhão de investimentos somente no município de Foz do Iguaçu (PR). Os números contemplam recursos destinados a obras, projetos de responsabilidade social, moradia popular, turismo, meio ambiente e saúde.
Segundo a companhia, somados os R$ 750 milhões previstos para a construção do campus da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), cuja licitação está prevista para ser lançada no segundo semestre deste ano, o total ultrapassa os R$ 2 bilhões. A apresentação dos dados foi feita na última quarta-feira, 31 de janeiro, no Centro de Recepção de Visitantes (CRV) da Itaipu.
No evento foi anunciado o projeto de revitalização da Avenida Juscelino Kubitschek, uma das mais importantes do município e que nunca passou por reforma estrutural profunda, desde que foi construída, na década de 1970. Os investimentos previstos no projeto são de R$ 22 milhões em dois anos. As melhorias incluem um novo sistema de drenagem, recapeamento, reforço na iluminação e instalação de ciclovia e pista de caminhada...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53269870/itaipu-investe-cerca-de-r-13-bilhao-em-foz-do-iguacu

Prefeitura de SP pede ao TCU a rescisão do contrato com Enel

Em uma nova ofensiva contra a distribuidora de energia Enel São Paulo, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes entrou, nesta quarta-feira (31), com ação no Tribunal de Contas da União (TCU) para pedir a rescisão do contrato com a concessionária. Ele também pediu mais rigor na fiscalização sobre o serviço prestado pela Enel na capital paulista.
O ofício da prefeitura aponta falhas na prestação do serviço e os transtornos causados à população. Acompanhado dos deputados federais Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, e Baleia Rossi, presidente do MDB, Nunes se reuniu com o ministro Bruno Dantas para tratar do assunto.
Atualmente, é a União que faz as licitações das concessões do serviço de distribuição de energia e a regulação e fiscalização é de competência da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). De acordo com a nota da prefeitura, antes de chegar ao Tribunal, o município já havia solicitado à agência reguladora o cancelamento do contrato de concessão da empresa italiana...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358403&sid=105

07/02/2024

Taesa consegue Licença Prévia para LT do Projeto Tangará

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais do Maranhão concedeu a Licença Prévia para o seccionamento da LT Açailândia – Miranda II, referente às instalações da concessão Tangará Transmissora de Energia Elétrica, de propriedade da Taesa. Essa LP é a última e é considerada um marco importante para a projeto, uma vez que atesta a viabilidade socioambiental de todo o empreendimento. O prazo estipulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica para energização é março de 2028.
A Sema também concedeu Licença de Instalação para a Subestação Santa Luzia III, que também faz parte do mesmo empreendimento, o que permite o início das obras. Tangará é um empreendimento referente ao lote 3 do leilão de LTs 02/2022, realizado em dezembro de 2022, 100% controlada pela Taesa. O empreendimento tem Receita Anual Permitida total de R$ 104,7 milhões para o ciclo 2023-2024 e um Capex ANEEL de R$ 1,11 bilhão. O empreendimento está localizado nos estados de Maranhão e Pará, com extensão de cerca de 279 km de LTs, sendo 72 km de circuito duplo.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270272/taesa-consegue-licenca-previa-para-lt-do-projeto-tangara

Energia solar avança e chega a quase 17% da matriz elétrica brasileira

A energia solar fotovoltaica mantém sua trajetória de crescimento no país. Em janeiro, a fonte superou os 38 gigawatts (GW) de capacidade instalada, mostram novos dados da ABSOLAR, confirmados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A fonte responde por 16,8% da matriz elétrica brasileira.
A capacidade inclui tanto a geração centralizada, de grandes usinas solares contratadas nos leilões do governo, como a geração distribuída (GD), formada por plantas de menor porte, instaladas pelos próprios consumidores. A primeira soma 11,7 GW, enquanto a GD totaliza 26,3 GW, informam UOL, Exame, Época Negócios e Canal Solar.
Na atualização dos números desde 2012, a ABSOLAR indica que a fonte solar gerou mais de R$ 184,3 bilhões em novos investimentos no Brasil, mais de R$ 51,7 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e cerca de 1,1 milhão de empregos acumulados. Com isso, também evitou a emissão de 46,4 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade...

Fonte: Climainfo

Leia mais em:

https://climainfo.org.br/2024/02/07/energia-solar-avanca-e-chega-a-quase-17-da-matriz-eletrica-brasileira/

Credores da Light pedem que acionistas injetem R$ 3 bilhões na companhia

A sete semanas da assembleia geral de credores (AGC), a Light ainda não atraiu nem um grupo de detentores de suas dívidas para suas propostas de reestruturação e pagamento, apurou o Broadcast. Os negociadores aguardam a melhora e formalização de termos e condições aventados pela companhia, enquanto avaliam que será difícil chegar a um acordo até 21 de março, data da primeira convocação de AGC. A segunda convocação é para 28 de março.
Os bondholders têm mantido negociações constantes e fluidas com a companhia, disse um representante do grupo. Mas esperam uma injeção de capital de pelo menos R$ 3 bilhões, apurou o Broadcast.
No fim de 2023, a Light chegou a propor uma capitalização de menor porte, R$ 1 bilhão, que seria feita pelo investidor Nelson Tanure. Por meio de sua WNT Gestora de Recursos, Tanure tem a maior participação acionária no capital da holding, de 30,05%...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358516&sid=105

STF suspende decisão que paralisava atividades em linhas da Eletronorte

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luís Roberto Barroso, suspendeu decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que havia determinado a interrupção das atividades nas LTs 500 KV Tucuruí-Marabá-Imperatriz-Presidente Dutra. As linhas atravessam as Terras Indígenas Cana Brava/Guajajara, Rodeador, Lagoa Comprida e Urucu/Juruá, nos estados do Pará e do Maranhão. O ministro atendeu a pedido da Eletronorte formulado na Suspensão de Tutela Provisória 981.
Essa linhas da Eletronorte vem sendo alvo de decisões judiciais desde o ano passado, quando o TRF-1 concedeu liminar suspendendo a licença da linha e o STJ a derrubou posteriormente.
Na instância de origem, o Ministério Público Federal havia ajuizado ação civil pública na Justiça Federal contra a Eletronorte e o Ibama para que a renovação do licenciamento ambiental do empreendimento respeitasse exigências impostas por nova legislação, relativas à política indigenista...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270207/stf-suspende-decisao-que-paralisava-atividades-em-linhas-da-eletronorte

Energisa vai investir R$ 6 bilhões em 2024

A Energisa divulgou na última segunda-feira, 5 de fevereiro, atualização da previsão de investimentos para o ano de 2024, que traz um total de R$ 6,07 bilhões, incluindo o investimento de capital orgânico nas subsidiárias. Desse total, a distribuição de energia ficará com a maior fatia de recursos, com R$ 4,94 bilhões, com a Energisa Mato Grosso recebendo R$ 1,22 bilhão.
A transmissão será dona de R$ 513,5 milhões dos investimentos da Energisa este ano, com o projeto Amazonas levando o maior volume, de R$ 23,7 milhões. A (re) Energisa irá investir R$ 430 milhões em 2024 e a ES Gás – distribuidora de gás capixaba que faz parte do grupo desde julho do ano passado – ficará com R$ 100 milhões.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270184/energisa-vai-investir-r-6-bilhoes-em-2024

Distribuidoras adotam solução de IA para recuperação de receita

Com intuito de atender à crescente demanda por soluções inovadoras no setor de energia, a CAS Tecnologia desenvolveu a plataforma Neuron, uma solução elaborada com Inteligência Artificial que realiza uma análise temporal com foco em promover maior eficiência operacional, além de impactar positivamente os custos das distribuidoras. A empresa investiu aproximadamente R$ 6 milhões no desenvolvimento da solução, sendo parte deste montante realizado com o apoio do BNDES.
Atualmente, a Amazonas Energia e a Light, que atendem aos estados do Amazonas e do Rio de Janeiro, respectivamente, estão implementando a plataforma Neuron para detectar as perdas, realizar o diagnóstico de problemas e otimizar os processos, permitindo, assim, a identificação precoce de falhas nas redes elétricas dos usuários telemedidos.
Segundo a CAS Tecnologia, em algumas concessionárias, cerca de 2% dos consumidores representam metade do faturamento, destacando a importância de abordagens eficazes para identificar e reduzir perdas. Uma das principais preocupações das distribuidoras de energia no Brasil são as perdas não técnicas, como o furto de energia. E as smart grids (redes inteligentes) possibilitam uma gestão mais eficiente da eletricidade, permitindo uma resposta em tempo real às demandas variáveis de consumo...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270110/distribuidoras-adotam-solucao-de-ia-para-recuperacao-de-receita

Lesui impulsiona a fronteira CX no mercado livre de energia

No ambiente do mercado livre de energia, a atenção à experiência do cliente (CX) é destacada devido à competitividade e à liberdade de escolha dos consumidores. Em 17 de janeiro, a Lesui, plataforma digital especializada na gestão de todas as operações do mercado livre de energia, além da eficiência energética, telemetria e ESG, apresentou aos usuários de diversos segmentos, incluindo indústria, comércio, agronegócio, cooperativas, distribuição e geração, sua nova versão destacando uma interface renovada e funcionalidades que buscam aprimorar a integração com áreas estratégicas.
A proposta principal é garantir que a jornada do cliente, desde o primeiro contato até o suporte pós-migração, seja coerente e alinhada com as necessidades do usuário e não apenas ter as respostas prontas...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358479&sid=105

Light investe R$ 100 milhões na renovação da rede de energia que abastece as ilhas do Governador e de Paquetá

A Light – a maior distribuidora de energia do estado do Rio de Janeiro e a quinta do país – está aportando R$ 100 milhões para a renovação completa das redes de energia elétrica subterrâneas que atendem as ilhas do Governador e de Paquetá, assim como à ampliação da capacidade de distribuição de energia. Comprometida com a manutenção e qualidade dos serviços prestados à população da cidade do Rio de Janeiro e dos outros 30 municípios do estado, que estão em sua área de concessão, a empresa investiu cerca de R$ 4 bilhões, nos últimos 5 anos, em manutenção, expansão de rede e combate a perdas. Em 2024, serão R$ 764 milhões.
Fundada há 118 anos, a concessionária mantém o seu compromisso de assegurar à população do Rio de Janeiro um serviço de qualidade, reconhecido pelo ranking de distribuidoras da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). De acordo com o órgão regulador, a Light tem o 5º melhor DEC (índice que mede a duração média de interrupção de energia) no Brasil, no comparativo com as distribuidoras com mais de 1 milhão de clientes; e o 2º melhor FEC (índice que mede a frequência média de interrupção de energia)...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358480&sid=105

Empresa brasileira aprova 1º projeto de carbono de energia limpa da América Latina

O projeto Sol do Sertão Renewable Energy Project se tornou um marco na agenda de transição energética de baixo carbono ao ser o primeiro aprovado na América Latina pelo Global Carbon Council (GCC). O projeto, desenvolvido pela FutureCarbon, em parceria com a Essentia, tem o potencial de transformar a região e teve seus critérios socioambientais aprovados pelo Global Carbon Council após auditoria independente internacional.
Segundo Rafael Borgheresi, a qualidade do projeto chamou a atenção dos auditores, que classificaram o projeto com selo platinum (colocando assim o projeto entre os 4 melhores do mundo).
“O selo de qualidade é um reconhecimento de nosso time técnico, muito competente para fazer projetos, e também do nosso modelo de atuação, que além de se preocupar com a questão ambiental, insere indicadores sociais a serem alcançados e canaliza recursos para impacto social positivo. Só trabalhamos em projetos não tenha repartição de benefícios com a comunidade. É deal braker para a FutureCarbon”, acrescenta...

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/ro/noticia/2024/02/05/empresa-brasileira-aprova-1o-projeto-de-carbono-de-energia-limpa-da-america-latina.ghtml

Brasil é o segundo país da América do Sul em capacidade renovável

O Brasil é o segundo país com o maior percentual de capacidade instalada em energia renovável da América do Sul, com 78% de sua eletricidade sendo gerada por fontes com baixa ou nenhuma emissão de carbono, como solar e eólica. 
O país fica à frente de nações como Uruguai (70%) e Colômbia (68%), mas fica atrás do Paraguai, que já tem 100% de sua energia produzida por fontes limpas, segundo dados do estudo “Transição Energética na América do Sul”, divulgado pela KPMG. 
Nos demais países do continente, como Equador, Chile, Peru e Argentina, a participação das renováveis (embora apresente crescimento significativo no último triênio) ainda não ultrapassou os 60% da capacidade total de geração. 
No caso do Paraguai, o bom desempenho ocorre devido à existência de três usinas hidrelétricas (Itaipu, Yacyretá e Acaray), responsáveis por quase a totalidade do consumo no país...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/brasil-e-o-segundo-pais-da-america-do-sul-em-capacidade-renovavel/

Brasil registra maior consumo médio de energia elétrica dos últimos anos

O Brasil consumiu 69.363 MW médios de energia elétrica no ano passado, o que representa cerca de 3,7% na comparação com 2022 e uma das maiores demandas dos últimos anos, segundo dados da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica).
No mercado regulado, em que os consumidores compram sua energia diretamente das distribuidoras, a alta foi de 2,5%, por causa do uso mais intenso de eletrodomésticos, como ventiladores e ar-condicionado, especialmente nos últimos meses do ano, quando as temperaturas bateram recordes em boa parte do país. 
Já no Mercado Livre de Energia, no qual é possível escolher o fornecedor de energia e negociar condições de contrato, o consumo avançou 5,9% no comparativo anual. 
Segundo o CCEE, o crescimento reflete uma combinação da maior atividade em alguns setores produtivos, a chegada de novos entrantes no segmento e o impacto do calor em ramos como comércio e serviços, que também usaram mais os equipamentos de refrigeração...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/brasil-registra-maior-consumo-medio-de-energia-eletrica-dos-ultimos-anos/

09/02/2024

Demanda por energia elétrica bate recorde, mas ONS descarta risco 

A volta às aulas e as temperaturas elevadas levaram a demanda instantânea por energia elétrica a alcançar um novo recorde na quarta-feira (7). Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o patamar chegou aos 101.860 megawatts (MW) às 14h15 no Sistema Interligado Nacional (SIN). 
A demanda na ocasião foi atendida majoritariamente pela geração hidráulica e pela micro e minigeração distribuída. As renováveis estavam atendendo, naquele momento, 92,4% da carga. O recorde anterior era de 101.475 MW em 14 de novembro de 2023, quando uma forte onda de calor atingiu o país. À época, foi determinado o acionamento de termelétricas pelo calor elevado. 
Questionado sobre o risco de oferta, o ONS descartou a possibilidade. “O ONS reforça que faz a melhor gestão com os recursos disponíveis e que o SIN está preparado para atender às demandas de carga e de potência da sociedade.”…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358577&sid=105

Brasil sobe no ranking de liberdade do consumidor de energia

O Brasil demonstrou um progresso notável no ranking global de liberdade do consumidor de energia, marcando um avanço significativo na evolução do mercado energético do país. Esta melhoria é o resultado de medidas regulatórias inovadoras, implementadas pelo Ministério de Minas e Energia em 2018 e 2019, que expandiram o acesso dos consumidores ao mercado livre de energia elétrica.
Até 2019, somente aqueles com uma demanda energética superior a 3.000 kW tinham o direito de acessar o mercado livre. Contudo, a regulamentação foi progressivamente reduzida até 2023, quando o limite foi estabelecido em 500 kW, permitindo que uma parcela significativa dos consumidores brasileiros se beneficiasse dessa liberdade energética.
Apesar desses avanços, o Brasil ainda ocupa a 47ª posição em um ranking que inclui 56 países, revelando que há espaço para um maior crescimento nesse setor. Comparativamente, o país está atrás de nações como a Argentina, onde consumidores podem acessar o mercado livre com uma demanda acima de 300 kW, e em paridade com o Chile, onde consumidores com demanda superior a 500 kW já são elegíveis para o Ambiente de Contratação Livre (ACL)...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358578&sid=105

Gerdau e Newave Energia lançam pedra fundamental para construção de usina de 420 MWp

A Gerdau e a Newave Energia realizaram, nesta quinta-feira (08), a assinatura do protocolo de instalação do Parque Solar Arinos, localizado em Arinos (MG), em cerimônia ocorrida na capital mineira.
O empreendimento, que tem capacidade para atingir 420 MWp, incluirá ainda uma subestação de energia. A usina é um dos projetos incluídos na lista de investimentos do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento) anunciados pelo governo federal para o estado de Minas Gerais.
Segundo a empresa, a planta é uma iniciativa da Newave Energia, plataforma de energias renováveis na qual a Gerdau detém 33,33% de participação por meio de sua divisão de novos negócios, Gerdau Next.
Com investimento total estimado na ordem de R$ 1,5 bilhão, a previsão é de que o projeto seja concluído no fim de 2024 e crie aproximadamente 4 mil empregos diretos e indiretos, que vão contribuir para a renda e o desenvolvimento local pelas próximas décadas...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/gerdau-e-newave-energia-lancam-pedra-fundamental-para-construcao-de-usina-de-420-mwp/

As razões para a AES deixar o país – e os motivos que podem fazer a empresa permanecer

O grupo americano de energia AES tem muitos motivos para deixar o país – mas tem também boas razões para permanecer. Um fator relevante para ficar seria a entrada de um investidor financeiro no capital da AES Brasil, geradora que tem foco em energias renováveis, segundo fontes ouvidas pelo IM Business. A indicação é de que a companhia não visa, pura e simplesmente, se desfazer do ativo brasileiro. Segundo notícias veiculadas há pouco mais de uma semana, dois bancos – um local e outro estrangeiro – foram contratados para tocar o processo de venda da empresa.
Avalia-se que, no momento, ao menos dois fatores pesam contra a permanência da americana no país. De um lado, sua elevada dívida da geradora; de outro, a baixa representação dos resultados da AES Brasil no balanço consolidado da AES Corporation.
O balanço do terceiro trimestre trouxe que, em 30 de setembro, o endividamento líquido da controlada atingia R$ 8,7 bilhões e o grau de alavancagem chegava a 5,6 vezes (1,4 ponto percentual maior que um ano antes) pelo critério de dívida líquida sobre o Ebitda (sigla em inglês de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/business/as-razoes-para-a-aes-deixar-o-pais-e-os-motivos-que-podem-fazer-a-empresa-permanecer/

Copel investirá R$ 3 milhões para melhorar fornecimento de energia na área rural de Araucária

A Copel apresentou ao Procon Araucária na semana passada um plano de investimentos para melhorar a qualidade dos serviços de fornecimento de energia na área rural da cidade.
Pela proposta, a companhia investirá mais de R$ 3 milhões numa série de serviços para melhorar a rede de energia elétrica que abastece, principalmente, o interior de Araucária. A negociação visa também encerrar o procedimento administrativo aberto pelo Procon e que resultou numa multa à Copel.
O acordo apresentado pela companhia prevê a realização de 22 serviços de expansão, modernização e interligações de rede, dentre os quais estão a instalação de 16 religadores automatizados e de um equipamento para regular a tensão da energia que chega as comunidades rurais da cidade.
De acordo com a companhia, desses serviços, um que deve melhorar o tempo de resposta em caso de desligamentos ocasionados por questões climáticas são os religadores. Isto porque, atualmente, sempre que um galho, pássaro ou algo assim acaba fechando curto na rede e a chave é desativada, uma equipe precisa se deslocar até o local, vistoriar o perímetro e, em se constatando que não houve rompimentos, os funcionários da Copel religam a chave seca com a ajuda de uma vara de manobra...

Fonte: O Popular

Leia mais em:

https://opopularpr.com.br/copel-investira-r-3-milhoes-para-melhorar-fornecimento-de-energia-na-area-rural-de-araucaria/

Superplayer & Co quer transformar os provedores de internet em distribuidores de energia

A Superplayer & Co, empresa que atua há mais de sete anos desenvolvendo serviços de valor agregado, passará a distribuir energia como produto para provedores de internet. Com isso, os provedores poderão oferecer aos seus clientes corporativos energia renovável e confiável por um valor até 30% mais barato que diretamente da concessionária. Para oferecer este serviço aos provedores, a Superplayer & Co fechou uma parceria para representar a geradora de energia renovável da Newave Energia.
A oferta da Superplayer & Co se dará em duas frentes. A primeira é oferecer energia renovável no mercado livre diretamente para o provedor, como uma forma dele reduzir sua conta mensal de energia. A segunda frente será oferecer energia renovável no mercado livre como um produto para que o provedor distribua aos seus clientes corporativos, fortalecendo o relacionamento com estes clientes e criando novas fontes de receita para o provedor.
Esta oferta de energia renovável mais barata vem ao encontro de uma necessidade crescente do mercado de telecomunicações, onde os provedores têm buscado mais opções de serviços adicionais para agregar valor também a sua base de clientes corporativos, assim como já fazem com os consumidores pessoa física, em que a distribuição de serviços de streaming e aplicativos é bastante disseminada...

Fonte: Abinee - TI Inside

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358561&sid=105

Esquenta a corrida pela geração elétrica limpa

Relatório recente da Agência Internacional de Energia (IEA, em inglês), mostra que o Brasil continua limpando sua matriz energética, em especial na geração elétrica. As estimativas da agência são de que em 2026 o país terá 50% mais energia eólica e solar que em 2022. 
Mas a leitura atenta do documento revela uma faceta para a qual a própria IEA não deu muita atenção, mas que sinaliza os novos tempos da descarbonização. No mundo todo, a projeção é de que as energias renováveis gerem mais de um terço da eletricidade mundial em 2025, taxa que pode chegar a 46% em 2026. Dos grandes países, apenas a Rússia ainda se mantém fiel ao uso dos combustíveis fósseis como principal fonte geradora de eletricidade. 
Com todas as limitações de suas matrizes, Europa, Estados Unidos e Ásia, incluindo a China, também estão em processo acelerado de “limpar” sua geração de eletricidade...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358545&sid=105

EPE desenvolve estudos de planejamento da transmissão para 2024

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e o Ministério de Minas e Energia (MME) publicaram na última terça-feira, 06 de fevereiro, a programação de estudos de planejamento da transmissão para 2024. O objetivo principal é a indicação das novas instalações ou equipamentos para expansão do sistema de transmissão de energia elétrica. De acordo com o MME, essas obras são necessárias para o atendimento ao crescimento do mercado no horizonte dos próximos dez anos. A programação contempla a realização de 30 estudos em todas as regiões do Brasil, 11 deles começaram em 2023 e 19, iniciarão neste ano.
Segundo o MME, entre os destaques da programação dos estudos está a análise da viabilidade de se recomendar outro corredor expresso, conhecido como “bipolo Nordeste 2”. O objetivo é aumentar o intercâmbio energético entre as regiões atendidas pelo SIN. O outro estudo visa a avaliação das condições de atendimento às regiões metropolitanas de Manaus (AM) e de Boa Vista (RR), indicando nova solução estrutural de suprimento na Amazônia tendo por premissa a diminuição de geração térmica por razões elétricas...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270384/epe-desenvolve-estudos-de-planejamento-da-transmissao-para-2024

Statkraft inaugura no Brasil seu maior projeto fora da Europa

A Statkraft inaugurou oficialmente na última terça-feira, 6 de fevereiro, o Complexo Eólico Ventos de Santa Eugênia, na Bahia. Esse é, segundo a companhia, o seu maior empreendimento fora da Europa com 519 MW de potência instalada. Além de estar na reta final da construção dos aerogeradores a empresa já decidiu aumentar a potência instalada no local para ‘hibridizar’ o projeto com a fonte solar.
Localizado em Uibaí e Ibipeba (500 km de Salvador), as máquinas estão no topo da chamada Serra Azul, uma cadeia de montanhas com altitude média de 800 metros acima do nível do mar, mas que podem chegar a até 1.200 metros. O projeto conta com 91 aerogeradores da Nordex Acciona de 5,7 MW. A área tem 489,18 hectares, onde estão localizados os 14 parques eólicos. De acordo com a Statkraft, quando pronto o complexo deverá produzir 2.300 GWh por ano, do total projetado, há no momento 200 MW em operação comercial.
Com o complexo, a subsidiária da empresa norueguesa no Brasil aumenta sua capacidade eólica no Brasil de 710MW para 1.229MW. Mas esse é apenas um dos passos da companhia no país que aumentará a relevância do Brasil em seu portfólio global. Com a conclusão das aquisições recentes, aí coloca na conta a aquisição da Enerfin, anunciada no ano passado, bem como a conclusão de outros projetos em construção, como o projeto eólico Morro do Cruzeiro, também na Bahia, a Statkraft aumentará em cinco vezes a sua capacidade de geração no país no decorrer de um ano em comparação com o mesmo período do ano passado...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270313/statkraft-inaugura-no-brasil-seu-maior-projeto-fora-da-europa

Energisa vai investir R$ 6 bilhões em 2024

A Energisa divulgou na última segunda-feira, 5 de fevereiro, atualização da previsão de investimentos para o ano de 2024, que traz um total de R$ 6,07 bilhões, incluindo o investimento de capital orgânico nas subsidiárias. Desse total, a distribuição de energia ficará com a maior fatia de recursos, com R$ 4,94 bilhões, com a Energisa Mato Grosso recebendo R$ 1,22 bilhão.
A transmissão será dona de R$ 513,5 milhões dos investimentos da Energisa este ano, com o projeto Amazonas levando o maior volume, de R$ 23,7 milhões. A (re) Energisa irá investir R$ 430 milhões em 2024 e a ES Gás – distribuidora de gás capixaba que faz parte do grupo desde julho do ano passado – ficará com R$ 100 milhões.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270184/energisa-vai-investir-r-6-bilhoes-em-2024

14/02/2024

LTs causam desligamentos da Enel-SP e Neonergia-Elektro

O Operador Nacional do Sistema Elétrico informou em seu boletim diário, IPDO, que às 20h31 da última terça-feira, 13 de fevereiro, houve o desligamento automático das LT 138 kV Embu-Guaçu/Mongaguá circuitos 1 e 2 com consequente desligamento em cascata das subestações de 138 kV Mongaguá, Peruíbe e Registro no estado de São Paulo. Às 20h37 foi concluída a normalização da carga da Enel-SP, e às 20h48 foi concluída a normalização da carga da Neonergia-Elektro. As causas estão sendo verificadas pelo Operador.
No último sábado, 10 de fevereiro, às 16h54, também ocorreu desligamento automático da LT 230 kV Miranda II / Peritoró C1, no estado do Maranhão. Foi cadastrada intervenção para reparo de estrutura avariada de torre localizada a cerca de 6,5 km da SE Peritoró. Às 04h56 do dia 11 de fevereiro a linha foi disponibilizada para operação após manutenção.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270590/lts-causam-desligamentos-da-enel-sp-e-neonergia-elektro

Petrobras vai investir em pesquisa para hidrogênio verde com energia solar

A Petrobras investirá R$ 90 milhões para estudar a produção de hidrogênio verde, realizando a eletrólise a partir da usina fotovoltaica de Alto Rodrigues, localizada no estado do Rio Grande do Norte. 
O desafio do estudo é entender o comportamento da produção do combustível considerando que a fonte de energia é intermitente. O projeto conta com a parceria do Instituto Senai de Energias Renováveis (ISI-ER).
Para atender a planta piloto de eletrólise, a usina solar terá a sua capacidade ampliada de 1 MWp para 2,5 MWp.
“Um dos grandes temas em relação ao hidrogênio de baixo carbono é a operação da tecnologia de eletrólise diretamente conectada à fonte de energia renovável, com suas características intermitentes. Este projeto tem como um dos seus objetivos avançarmos em nosso conhecimento sobre este tipo de operação”, disse Maurício Tolmasquim, diretor de Transição Energética e Sustentabilidade...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/petrobras-vai-investir-em-pesquisa-para-hidrogenio-verde-com-energia-solar/

Histórico: Super Bowl foi inteiramente movido por energia solar

A vitória do Kansas City Chiefs sobre o San Francisco 49ers, o show do cantor Usher, além das presenças de Taylor Swift, Beyoncé e outros artistas e celebridades, foram os principais assuntos do Super Bowl LVIII, realizado neste domingo (11), no Allegiant Stadium, em Las Vegas (EUA). 
Contudo, a sustentabilidade também foi uma das estrelas do evento. Isso porque, pela primeira vez na história, uma partida do Super Bowl foi movida inteiramente por energia renovável, mais especificamente por energia solar.
Estima-se que o palco da final deste domingo consumiu cerca de 28 MWh de energia durante o evento, segundo cálculos do site Business Insider.
O feito foi considerado um marco impressionante, considerando a quantidade de eletricidade necessária para manter as luzes acesas em um estádio com capacidade para 65 mil torcedores...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/historico-super-bowl-foi-inteiramente-movido-por-energia-solar/

ONS vê aceleração da carga nacional de energia elétrica em fevereiro

A carga nacional de energia – soma do consumo e das perdas elétricas – deve atingir 83.286 MWmed (megawatts-médios) em fevereiro, o que se confirmada representará um crescimento de 6,4% na comparação com o mesmo período do ano passado.
As altas mais expressivas são esperadas nos submercados Norte (13,2% – 7.543 MWmed) e Sul (11,6% – 15.879 MWmed). As projeções para as demais regiões ficaram assim: Nordeste, 7,9% (13.556 MWmed) e Sudeste/Centro-Oeste, com 3,3% (46.308 MWmed).
Os dados divulgados na última sexta-feira (9) vêm dois dias depois do recorde de demanda de carga no SIN (Sistema Interligado Nacional). Às 14h15 do dia 7 de fevereiro, a demanda instantânea atingiu o patamar de 101.860 MW.
Segundo o ONS, o comportamento da carga foi influenciado pelas elevadas temperaturas e o retorno às aulas. “A marca anterior era de 101.475 MW, confirmada em 14 de novembro de 2023.”
No final de janeiro, o ONS estimou o crescimento da carga nacional em 5,5% (82.607 MWmed) em fevereiro. Naquela ocasião o órgão já tinha sinalizado para a necessidade de geração termelétrica para o atendimento aos horários de ponta de carga.
Entretanto, na semana do dia 3 a 9 de fevereiro a entidade reduziu o crescimento da carga do SIN para 4,5% e agora no último boletim elevou para 6,4%.

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/ons-ve-aceleracao-da-carga-nacional-de-energia-eletrica-em-fevereiro/

Ministério de Minas e Energia investirá R$ 300 milhões em obras de transmissão no Nordeste

O Ministério de Minas e Energia (MME) aprovou, na última sexta-feira (9), o Plano de Outorgas de Transmissão de Energia Elétrica (POTEE), que define novas linhas de transmissão e distribuição, além de equipamentos no Leste do Maranhão, Centro-Norte do Piauí e Região Metropolitana de João Pessoa, na Paraíba. Serão R$ 300 milhões em investimentos previstos que permitirão solucionar restrições para a conexão de novos projetos de geração, ampliando a margem de escoamento de energia elétrica nessas regiões do Sistema Interligado Nacional (SIN).
“Essas novas linhas significam mais investimentos para garantir mais segurança e qualidade no fornecimento de energia elétrica e mais geração de oportunidades e, principalmente, emprego e renda para nossa população. Trata-se de mais uma ação do MME no sentido de promover desenvolvimento por meio da energia elétrica”, destacou o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira sobre o POTEE...

Fonte: Portal In

Leia mais em:

https://www.portalin.com.br/negocios/ministerio-de-minas-e-energia-investira-r-300-milhoes-em-obras-de-transmissao-no-nordeste/

Isa Cteep anuncia nova diretora de Auditoria, Riscos e Compliance

A Isa Cteep anunciou a chegada de Bruna Victorelli para assumir a diretoria de Auditoria, Riscos e Compliance da empresa, em substituição a Hugo Nicolas Genoni, que assumiu a vice-presidência de Riscos e Compliance da colombiana ISA, controladora da companhia.
Na empresa, a executiva assumirá o desafio de contribuir com a estratégia da empresa por meio de sua expertise em avaliação de tendências e riscos em projetos, gestão integrada de riscos estratégicos e operacionais e sólida experiência em gestão de programa de compliance.
Segundo a companhia, Victorelli possui mais de 15 anos de experiência em gestão de riscos corporativos e com passagens por empresas como KPMG e CPFL. A executiva é formada em Administração pela Faculdade de Campinas (FACAMP), possui especialização em Economia Financeira pela Universidade de Campinas (Unicamp) e MBA em Finanças pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Durante a carreira, acumula vasta experiência no setor elétrico e também em consultoria de auditoria.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270478/isa-cteep-anuncia-nova-diretora-de-auditoria-riscos-e-compliance

Aneel multa Enel SP em R$ 165,8 milhões por atuação após temporal de novembro

A Agência Nacional de Energia Elétrica aplicou multa de R$ 165.807.883,49 na Enel São Paulo, após fiscalização para verificar o atendimento em ocorrências emergenciais e a atuação da distribuidora no evento climático do dia 3 de novembro, quando fortes chuvas deixaram consumidores sem luz por vários dias. De acordo com a agência, não foi cumprida norma que diz que a concessionária deve implantar, operar ou manter instalações de energia e os respectivos equipamentos de forma adequada.
A fiscalização foi realizada de 9 de novembro a 18 de dezembro, quando foi registrada uma constatação e uma não conformidade. Em levantamento das interrupções dos últimos quatro anos, a agência constatou que o tempo médio de restabelecimento é pior que a média do Brasil e tem piorado de um ano para o outro. As interrupções em unidades com desligamentos superiores a 24 horas também registraram aumento...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270534/aneel-multa-enel-sp-em-r-1658-milhoes-por-atuacao-apos-temporal-de-novembro

16/02/2024

Venda de térmicas da Eletrobras avança e atrai Brookfield, Âmbar e Eneva

A canadense Brookfield, a empresa de energia Âmbar, do grupo J&F, a Eneva e a Diamante Energia estão entre os interessados que avançaram para a nova fase do processo de venda dos ativos térmicos da Eletrobras, um negócio estimado em R$ 8 bilhões. O grupo que passou para a segunda etapa de disputa conta com ao menos cinco nomes, de acordo com fontes que falaram na condição de anonimato.
Nesta etapa, os candidatos fazem uma nova análise dos dados para lançarem as chamadas ofertas vinculantes, aquelas que atrelam um preço firme pelo ativo e na qual também têm mais acesso a informações financeiras e estratégicas.
Alguns destes interessados buscaram parceiros para desenhar uma proposta. É o caso da Eneva, que estaria se associando à gestora Perfin na iniciativa, e da Diamante Energia, que deve repetir a dobradinha com a Qatar Electricity & Water Company (QWEC), com quem já tem joint venture para investimentos em termelétricas a gás no Brasil…

Fonte: Aneel - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358653&sid=105

ONS publica sumário do PAR/PEL 2024-2028

O Operador Nacional do Sistema Elétrico publicou o Sumário Executivo do Plano da Operação Elétrica de Médio Prazo do Sistema Interligado Nacional – PAR/PEL 2023 para o horizonte de 2024 a 2028. O documento apresenta os detalhes dos investimentos estimados em R$ 49 bilhões, dado que já havia sido divulgado no final de dezembro de 2023, quando o Operador apresentou as informações iniciais do plano.
Anualmente, o ONS desenvolve o PAR/PEL com as perspectivas do desempenho do Sistema Interligado Nacional em um horizonte de cinco anos à frente. O objetivo é ter subsídios para que a operação mantenha os seus elevados padrões de qualidade, segurança e custo. O PAR/PEL indica sugestões de medidas operacionais a serem adotadas, assim como as obras de ampliações, reforços, melhorias e seus respectivos cronogramas.
Adicionalmente, nesse ciclo foram apresentados dois temas sobre os Desafios da Operação das Fontes Renováveis Variáveis e a Importância da Transmissão. Esses pontos estão relacionados a questões como o atendimento às rampas de carga comuns na transição entre os períodos diurno e noturno: os momentos em
que é preciso superar rampas de até 25 GW, valores que devem chegar a 50 GW em 2028...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270781/ons-publica-sumario-do-par-pel-2024-2028

Reduções da Selic elevam em 50% o número de consumidores que instalam energia solar

As consecutivas quedas da taxa Selic, verificadas no segundo semestre de 2023 e no início deste ano, elevaram o número de unidades consumidoras atendidas por energia solar em telhados e pequenos terrenos em cerca de 50%, segundo mapeamento divulgado pela fintech Meu Financiamento Solar.
Nos últimos cinco meses, a taxa básica de juros sofreu uma série de reduções no país: foram três entre agosto e dezembro de 2023 e uma em janeiro de deste ano, fazendo os juros caírem de 13,25% para 11,75%, sendo este o menor valor percentual desde fevereiro de 2022.
A expectativa do mercado é que novas quedas ocorram em 2024 e aumentem ainda mais o otimismo dos consumidores na tomada de decisão por novas instalações fotovoltaicas. 
Segundo o levantamento, entre os meses de agosto e dezembro de 2023, cerca de 600 mil novas unidades consumidoras aderiram ao uso da fonte solar em suas residências, empresas e propriedades rurais, contra os 400 mil novos consumidores conectados à geração fotovoltaica no primeiro semestre do ano passado...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/reducoes-da-selic-elevam-em-50-o-numero-de-consumidores-que-instalam-energia-solar/

Geração de energia em 2023 emite menor taxa de carbono em 11 anos

O governo federal divulgou nesta quarta-feira (14/2) que a geração de energia elétrica no Brasil em 2023 atingiu a menor taxa de emissão de carbono dos últimos 11 anos. Em média, o Sistema Interligado Nacional (SIN) produziu 38,5 kg de dióxido de carbono, o CO2, por megawatt/hora (MWh) gerado. Em 2022, a taxa foi de 61,7 kg/MWh.
Segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MTCI), a taxa é a menor desde 2012. O Ministério de Minas e Energia (MME), por sua vez, atribui o resultado ao aumento da participação de fontes limpas na matriz energética, ações para reduzir o uso das termelétricas, e ao cenário hídrico favorável.
No ano passado, o país atingiu um recorde em energia verde: 93,1% de toda a eletricidade produzida veio das fontes renováveis, como hidrelétricas, usinas eólicas e solares. Dentro do SIN, cerca de 70% da produção vem da energia hidrelétrica, e 15% da eólica, segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE)...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358632&sid=105

Aneel multa Enel em R$ 165 milhões por apagão em São Paulo

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aplicou multa de R$ 165,8 milhões à distribuidora Enel por causa do apagão em São Paulo, em novembro de 2023.
A área técnica da Aneel concluiu que houve falha da Enel em restabelecer o fornecimento de energia depois do blecaute por causa das fortes chuvas em São Paulo, em 3 de novembro.
Na ocasião, cerca de 2,1 milhões de imóveis ficaram sem energia após tempestades no estado.
O blecaute gerou críticas à atuação da Enel, uma das concessionárias do estado e distribuidora com o maior número de consumidores sem luz. A Enel atende a 8,2 milhões de consumidores na capital e em mais 38 municípios.
A Enel tem 10 dias para recorrer da multa, contando a partir desta quinta-feira (15). O pagamento deve ser feito em até 20 dias.
Em novembro, o diretor-geral da Aneel, Sandoval Feitosa, afirmou que a agência investigaria sete distribuidoras do estado.
Além da Enel, outras seis distribuidoras atuam no estado e tiveram suas redes afetadas: CPFL Santa Cruz, CPFL Paulista, CPFL Piratininga, Elektro, Energisa Sul-Sudeste e EDP...

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2024/02/15/aneel-multa-enel-em-r-165-milhoes-por-apagao-em-sao-paulo.ghtml

EPE e MME divulgam programação de estudos de planejamento para 2024

A EPE (Empresa de Pesquisa Energética) e o MME (Ministério de Minas e Energia) divulgaram a programação de estudos de planejamento para este ano. Ao todo são 30 estudos, 11 deles tiveram início em 2023 enquanto 19 devem começar em 2024.
O principal objetivo é a indicação das novas instalações ou equipamentos para a expansão do sistema de transmissão de energia elétrica.
Segundo o Ministério, as obras são necessárias para o atendimento ao crescimento do mercado tendo em vista a próxima década.
“Estamos trabalhando para fortalecer nosso SIN (Sistema Interligado Nacional) em ações que resultarão em mais investimentos para as nossas linhas de transmissão, em mais robustez ao Sistema Elétrico Brasileiro, levando melhor eficiência, economicidade, segurança, além de geração de emprego e renda para nossa população. Mais um passo que damos para uma transição energética justa, inclusiva, necessária”, afirmou Alexandre Silveira, ministro de Minas e Energia...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/epe-e-mme-divulgam-programacao-de-estudos-de-planejamento-para-2024/

Energy+ mira faturamento de R$ 67 mi com mais 36 franquias em 2024

Novata no negócio de franquias envolvendo a GD solar, a Energy+ encerrou 2023 comemorando um faturamento 36% maior que o previsto no começo do período. Agora os planos da companhia é chegar nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do país, com aportes em soluções para armazenamento e geração grid-zero. Assim a corporação prevê alcançar até dezembro mais de R$ 67 milhões e um total de 36 unidades comercializadas no ano.
Para alcançar a meta, além de produtos para segurança, rentabilidade e sustentabilidade, a ideia é implementar estratégias para impulsionar a recuperação do mercado de energia renovável em relação ao ano anterior, fortalecendo parcerias, intensificando os esforços de pesquisa e desenvolvimento e explorando novos modelos de negócios relevantes como os mencionados acima. Também fará investimentos em capital humano, recursos e avanços em relação à gestão de pessoas...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270695/energy-mira-faturamento-de-r-67-mi-com-mais-36-franquias-em-2024

Líderes globais se comprometem a fortalecer segurança energética, diz AIE

Líderes do segmento de energia de todo o mundo se reuniram em Paris esta semana para a reunião ministerial da Agência Internacional de Energia. O evento que durou dois dias produziu um compromisso para salvaguardar a segurança energética enquanto acelera as transições de energia limpa para manter o objetivo de limitar o aquecimento global a 1,5 °C.
A reunião apresentou consenso sobre a necessidade de uma ação mais ousada e de uma maior cooperação global para transformar rapidamente o sistema energético mundial ao passo que aumenta a incerteza geopolítica e as temperaturas globais continuam a bater recordes.
O encontro ocorreu poucos meses após a COP28 em Dubai, onde quase 200 governos chegaram a um acordo-chave sobre questões de energia e clima. Isso incluiu as novas metas globais para 2030 – alinhadas com a meta do Acordo de Paris de limitar o aquecimento global a 1,5 °C – de transição para longe dos combustíveis fósseis, triplicar a capacidade de energia renovável, dobrar o progresso da eficiência energética e reduzir as emissões de metano...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270638/lideres-globais-se-comprometem-a-fortalecer-seguranca-energetica-diz-aie

Como migrar sua empresa para o mercado livre de energia

O setor de energia elétrica no Brasil tem passado por transformações significativas ao longo dos anos, e uma das evoluções mais marcantes foi a abertura do mercado livre de energia. Desde janeiro de 2024, o mercado livre de energia no Brasil se tornou uma opção viável para mais de 100 mil pequenas e médias empresas conectadas à rede de média e alta tensão, conhecidas como "grupo A", ou seja, as empresas com faturas mensais superiores a R$ 10 mil já podem fazer essa migração.
De acordo com a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia, o Mercado Livre propiciou patamar recorde de R$ 41 bilhões de economia nos gastos com energia elétrica em 2022, registrando volume inédito no histórico. Desde que ele foi criado já propiciou ganhos acumulados superiores a R$ 370 bilhões...

Fonte: Terra

Leia mais em:

https://www.terra.com.br/economia/como-migrar-sua-empresa-para-o-mercado-livre-de-energia,950ab48644430a406ee76c7a365ad6d2q7oc2orm.html

19/02/2024

ONS acende a luz amarela em relação ao atendimento eletroenergético do país

A falta de chuvas e o aumento da demanda elétrica do país têm preocupado o ONS (Operador Nacional do Sistema). O Órgão já vem se preparando para aumentar a oferta de recursos energéticos nos próximos meses para garantir o atendimento aos horários de ponta de carga.
Não é de hoje que o ONS vem dando sinais sobre a situação do setor elétrico. A preocupação recai sobre os níveis dos reservatórios das hidrelétricas, fundamentais para a garantia da oferta de energia flexível e barata.
Segundo o ONS, “as perspectivas gerais são de atendimento à demanda, no entanto, já há uma sinalização para a necessidade de atenção devido a afluência abaixo da média histórica no período tipicamente úmido em curso”.
Na última reunião do CMSE (Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico), realizada no dia 7 de fevereiro, o ONS alertou que as afluências previstas para o período de fevereiro a julho de 2024 variam entre 51% e 78%, ou seja, abaixo da média histórica.
“Mesmo se confirmadas as condições do limite superior, o índice ainda será classificado como a 5ª menor do histórico de 94 anos”, disse em nota…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/ons-acende-a-luz-amarela-em-relacao-ao-atendimento-eletroenergetico-do-pais/

Brasil é o sexto país do mundo que mais investiu em transição energética

O Brasil foi o sexto país do mundo que mais investiu em transição energética e o líder na América Latina, de acordo com relatório da BloombergNEF. 
O estudo destacou que o país investiu em 2023 cerca de US$ 34,8 bilhões no fomento de energias renováveis, veículos elétricos, hidrogênio, captura de carbono, entre outras soluções.
Globalmente, o volume de investimentos em soluções limpas somaram cerca de US$ 1,8 trilhão no ano passado – um número recorde mesmo em um ano marcado por turbulências geopolíticas, taxas de juro elevadas e inflação de custos.
Em 2023, a China foi o país que liderou os investimentos globais em transição energética com US$ 675,9 bilhões, seguido pelos Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e França.
De acordo com o documento da BloombergNEF, áreas emergentes como hidrogênio tiveram o investimento global triplicado nos últimos anos. A captura e armazenamento de carbono quase dobrou, enquanto que o armazenamento de energia aumentou cerca de 76%...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/brasil-e-o-sexto-pais-do-mundo-que-mais-investiu-em-transicao-energetica/

Economia e sustentabilidade: (re)energisa acelera para o Mercado Livre de Energia

A (re)energisa é a marca do Grupo Energisa responsável pela gestão e comercialização de energia no Mercado Livre. Para quem ainda não conhece, o Mercado Livre é uma alternativa mais barata e sustentável do que a compra tradicional de energia. Possibilita ao consumidor escolher seu fornecedor, podendo negociar preço, duração do contrato e a origem da energia.
“É viável negociar condições de preço mais favoráveis, resultando em uma redução de até 30% na conta de energia. A oportunidade de adquirir energia renovável também contribui para a eficácia da agenda ESG das empresas, proporcionando a redução das emissões de gases do efeito estufa e freando o aquecimento global”, afirma Roberta Godoi, vice-presidente de Soluções da (re)energisa.
Quem faz a migração pode comprar energia de fontes renováveis, como a solar, a eólica e a de biomassa. Essas opções não apenas otimizam recursos financeiros, mas também comunicam aos stakeholders um compromisso com o meio ambiente...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358688&sid=105

Grupo Prysmian tem novos CEOs

O Grupo Prysmian anunciou a troca no comando executivo das operações no Brasil e na América Latina a partir do segundo trimestre de 2024. Raul Gil Boronat, CEO Brasil desde 2020, assume como CEO América Latina, sucedendo Alejandro Quiroz Centeno no comando regional, posto que liderava desde 2021.
Raul Gil Boronat está na Prysmian desde 1996 e, antes de assumir como CEO Brasil, trabalhou em posições de comando global na unidade de negócios da empresa responsável pelo desenvolvimento de cabos submarinos, sobretudo para instalação de parques eólicos offshore. Ele passa a supervisionar a operação da multinacional italiana na região, distribuída em 13 fábricas, 4 centros de P&D e cerca de 4 mil funcionários entre Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia, Costa Rica e México...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270948/grupo-prysmian-tem-novos-ceos

Prime Energy unifica empresas formando grupo

A Prime Energy anunciou a consolidação das empresas Exata Energia, Ativa Energia e Arion, formando o grupo Prime Energy. A integração marca o início da jornada da empresa como portfolio company da Shell, que adquiriu a companhia e suas operações no fim de 2023. Essa ação, diz comunicado, otimiza as atividades e a promessa é de entregar uma experiência ainda mais eficiente aos clientes.
Em nota, a empresa informa que o grupo consolidará as expertises das empresas, que englobam consultoria para melhor gestão do custo de energia elétrica, eficiência energética, geração distribuída, soluções para baixa tensão e mercado livre de energia.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270958/prime-energy-unifica-empresas-formando-grupo

Subsídios e governança do setor precisam ser reavaliados, apontam especialistas

A atuação do Congresso Nacional no setor elétrico foi classificada como pouco eficiente no que se refere a atendimento de demandas de grupos específicos. Segundo Jerson Kelman, o Poder Legislativo faz parte do processo de desenvolvimento do setor, mas da forma que são tomadas algumas decisões mostra que há um problema de governança.
Kelman exemplificou sua crítica ao lembrar das alterações feitas no sinal locacional. “Quando o Congresso entra em tema de natureza regulatória e reage a influência de lobbies é improvável que haja benefício ao consumidor”, observou ele em evento promovido pelo jornal Folha de São Paulo para debater transição energética nesta segunda-feira, 19 de fevereiro.
Ao defender interesses de lobistas, acrescentou Kelman, um dos mais respeitados especialistas do setor energético brasileiro, não se tem uma visão integrada do setor. Por isso, defendeu a retomada da liderança no setor pelo Ministério de Minas e Energia...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270966/subsidios-e-governanca-do-setor-precisam-ser-reavaliados-apontam-especialistas

Alupar obtém liberação comercial para 61,7 MWp solares no Ceará

A Alupar recebeu parecer da Aneel e está apta a iniciar a operação comercial da planta fotovoltaica Pitombeira, localizada na área do complexo eólico Energia dos Ventos, no município de Aracati (CE). O empreendimento tem potência instalada de 61,7 MWp e garantia física de 15,9 MW médios. O investimento das instalações a ser unitizado será de aproximadamente R$ 249,5 milhões.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270912/alupar-obtem-liberacao-comercial-para-617-mwp-solares-no-ceara

Governo trabalha para expandir mercado livre de energia a consumidores residenciais até 2030

O consumidor residencial de energia pode ter acesso ao mercado livre – em que escolhe o seu fornecedor – até 2030. A afirmação é do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, em entrevista à TV Globo.
Segundo Silveira, o governo trabalha para garantir o acesso das classes média e baixa ao mercado livre de energia. Hoje, só grandes consumidores, como indústrias, podem negociar preços e escolher fornecedores, enquanto o consumidor residencial fica restrito à distribuidora local.
De acordo com o ministro, essa seria uma forma de baratear a conta de luz para esse público, que hoje está no mercado regulado – ambiente em que os consumidores compram apenas da distribuidora local.
“Ao mesmo tempo em que nós somos o grande protagonista de energias limpas e renováveis, temos a melhor matriz do mundo, do planeta e continuamos avançando nesse caminho, temos uma energia para o consumidor regulado que não é nada barata”, afirmou...

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2024/02/18/governo-trabalha-para-expandir-mercado-livre-de-energia-a-consumidores-residenciais-ate-2030.ghtml

Con Edison demonstrates new MV cable splicing technology

Con Edison of New York has partnered with robotics engineering company ULC Technologies to develop the new MV cable splicing machine.
The new machine is designed to automate the termination of medium voltage cables with improved repeatability and consistency while improving the safety of field workers by minimising exposure to high voltages.
In particular, the system is capable of performing complex operations on medium voltage feeder cables in underground vaults, where outages can occur during adverse weather conditions such as heat waves and storms, and thereby shorten overall feeder outage durations.
“At Con Edison worker safety is paramount. The technology used in this tool will enable our workers to splice high voltage cables, efficiently, uniformly and most importantly more safely,” said Patrick McHugh, senior vice president of Con Edison Electric Operations...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/energy-grid-management/con-edison-demonstrates-new-mv-cable-splicing-technology/

Copel aplica R$ 252 mi em três novas subestações e melhorias na rede

A Copel colocou em execução o plano de R$ 252,5 milhões em investimentos para fortalecer e modernizar a infraestrutura elétrica do Noroeste do Paraná ao longo de 2024. Dentre as principais obras, destacam-se a construção das subestações Morangueira, em Maringá, Bandeira, em Campo Mourão, e Cinturão Verde, em Cianorte, além de novas redes, instalação de transformadores e aportes no Paraná Trifásico. A região é uma das principais beneficiadas pelos aportes aprovados de R$ 2,091 bilhões para a rede elétrica nesse ano.
Dentro do montante total, R$ 53,6 milhões serão destinados especificamente a obras de alta tensão. Um dos projetos de maior destaque é a construção da nova subestação Morangueira, em Maringá. Projetada para operar em 138 mil volts, a unidade está recebendo um investimento de R$ 44 milhões e deve entrar em operação até o final do ano...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270840/copel-aplica-r-252-mi-em-tres-novas-subestacoes-e-melhorias-na-rede

PL obriga distribuidoras a criarem planos para ondas de calor e eventos extremos

O Projeto de Lei 6041/23, apresentado pelos deputados Pastor Henrique Vieira (PSOL-RJ) e Guilherme Boulos (PSOL-SP), obriga as concessionárias a criarem planos específicos para manter a normalidade da transmissão e distribuição de energia elétrica para os consumidores durante ondas de calor e eventos climáticos extremos.
A proposta parte da definição da Organização Meteorológica Mundial para “onda de calor”, que considera a ocorrência de cinco ou mais dias consecutivos com temperatura diária acima da máxima média mensal em 5º.
Pelo texto em análise na Câmara dos Deputados, a Agência Nacional de Energia Elétrica deverá fiscalizar as ações das concessionárias. Elas deverão dar especial atenção às áreas densamente povoadas, como favelas e periferias. A ideia dos parlamentares autores da proposta é garantir que as concessionárias se adaptem a situações resultantes de aquecimento global e mudanças climáticas.
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Defesa do Consumidor; de Minas e Energia; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270854/pl-obriga-distribuidoras-a-criarem-planos-para-ondas-de-calor-e-eventos-extremos

Migrações ao ACL sobem para mais de 16,7 mil

Mais de 16.791 empresas já informaram às distribuidoras que vão migrar para o mercado livre de energia elétrica em 2024 e 2025. Os dados constam na base atualizada pela Aneel copilados pela Abraceel. Desse total, quase 15.878 unidades consumidoras (94%) são de consumidores de menor porte, com demanda menor de 500 kW, beneficiadas pela Portaria 50/2022. O volume de entrantes em 2024 quadruplicou em relação a média mensal do ano anterior, como consta na última Reportagem Especial sobre o tema.
O chamado Grupo A possui aproximadamente 202 mil unidades consumidoras, principalmente empresas, que recebem energia em média e alta tensão. Dessas, mais de 38 mil já estão no mercado livre de energia, de forma que o potencial de migração é de aproximadamente 164 mil unidades consumidoras a partir de 2024.
Já aqueles em baixa tensão, inseridos no Grupo B, somam 89 milhões, e seguem sem autorização para escolher o fornecedor de energia elétrica. No mundo, 35 países têm o mercado livre de energia acessível a todos consumidores.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270774/migracoes-ao-acl-sobem-para-mais-de-167-mil

BNDES aprova R$ 118,8 mi para eficientização de motores elétricos

O plano de inovação da Weg, a ser conduzido por sua equipe de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) em Jaraguá do Sul (SC), teve aprovado R$ 118,8 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O projeto contempla investimentos em digitalização e descarbonização, a serem realizadas pela companhia até 2025, o que inclui pesquisa de novos materiais e desenvolvimento de motores elétricos.
Entre as rotas tecnológicas previstas, estão o desenvolvimento de produtos mais eficientes, sustentáveis e digitais, com incorporação de tecnologias 4.0, conectividade entre máquinas e sistemas de monitoramento em tempo real; o desenvolvimento de novos materiais para motores elétricos, visando a reduzir perdas de fabricação; além de novas topologias de motores elétricos como as lineares, visando atender a mobilidade elétrica...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270828/bndes-aprova-r-1188-mi-para-eficientizacao-de-motores-eletricos

21/02/2024

Energia mais cara e risco de blecaute, dizem especialistas

O baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas brasileiras, devido à falta de chuva nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste neste início de 2024, acende o alerta para a necessidade de aumentar os custos da geração de energia, ativando as termelétricas, alternativa que deve encarecer a conta de luz.
A produção de eletricidade a partir da queima e do calor, porém, pode não ser suficiente para suprir uma demanda crescente, havendo a possibilidade de blecaute, ou seja, apagões sistêmicos, como apontam especialistas.
O engenheiro elétrico e membro do Conselho de Infraestrutura e Energia (Coinfra) da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Carlos Sena, diz que os níveis dos reservatórios estão comparáveis aos de 2015 e 2016, época de forte escassez hídrica.
“O que temos é que, na medida do esvaziamento dos reservatórios, como estamos vendo atualmente e ainda no período úmido, teremos o aumento do despacho das termelétricas e o custo, havendo o acionamento da bandeira vermelha”…

Fonte: Tribuna Online

Leia mais em:

https://tribunaonline.com.br/economia/energia-mais-cara-e-risco-de-blecaute-dizem-especialistas-168405?home=esp%C3%ADrito+santo

Aneel aprova edital do primeiro leilão de transmissão de 2024

A Agência Nacional de Energia aprovou o edital do primeiro leilão de transmissão de 2024, marcado para 28 de março na sede da B3, em São Paulo. O certame vai ofertar 15 lotes de instalações de transmissão com investimentos estimados em R$ 18,2 bilhões.
As concessões são destinadas à implantação de 6.464 km de linhas de transmissão e subestações com capacidade de transformação de 9.200 MVA, com Receita Anual Máxima total em torno de R$ 3 bilhões. Os empreendimentos ficarão localizados nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins, e terão prazos para entrada em operação comercial entre 36 e 72 meses, contados a partir da assinatura dos contratos de concessão.
A versão final do documento com as regras do certame foi aprovada pela diretoria da Aneel nesta terça-feira, 20 de fevereiro, considerando os ajustes propostos pela unidade técnica do Tribunal de Contas da União. O documento não chegou a ser analisado no plenário do TCU, mas agência concluiu que foram cumpridos os prazos previstos em instrução normativa do próprio tribunal ao pautar o processo...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271033/aneel-aprova-edital-do-leilao-primeiro-leilao-de-transmissao-de-2024

Aumento da pena para furto de cabos de energia será apreciado no Senado

Em reunião na próxima quarta-feira, 21 de fevereiro, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deve apreciar o projeto de lei que agrava a pena para crimes de furto e receptação de equipamentos usados para o fornecimento de serviços públicos, como cabos de energia elétrica e internet. O projeto altera o Código Penal (Decreto-Lei 2.848, de 1940), que prevê de um a quatro anos de prisão e multa para furto, e até oito anos para receptação.
O PL 2.459/2022 estabelece que, no caso de equipamentos usados para o fornecimento de serviços públicos, as penas sejam aumentadas entre um terço e o dobro. O texto a ser aprovado em caráter terminativo na CCJ é de autoria da senadora Leila Barros (PDT-DF) e conta com relatório favorável do senador Jorge Kajuru (PSB-GO).
O relator também acatou emenda do senador Fabiano Contarato (PT-ES). A fim de permitir a aplicação de furto privilegiado, a emenda estabelece que a pena será acrescida de 1/3 ao dobro se o furto for de insumo, equipamento ou estrutura relacionados ao fornecimento de serviço público.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270998/aumento-da-pena-para-furto-de-cabos-de-energia-sera-apreciado-no-senado

Itaipu repassa mais de R$ 7 milhões para obras e projetos em Colombo (PR)

A Itaipu Binacional investiu cerca de R$ 7 milhões em recursos para serem aplicados em obras de infraestrutura e projetos socioambientais no município de Colombo (PR), região metropolitana de Curitiba. A contrapartida do município na parceria é de R$ 1,3 milhão, somando mais de R$ 8 milhões.
O convênio prevê a compra de biodigestor de pequeno porte para resíduos orgânicos, trabalhos de recuperação e proteção de nascentes e construção de estradas. A iniciativa faz parte do Programa Itaipu Mais Que Energia. O objetivo é contribuir com as cidades em políticas sociais e ambientais, a partir de contrapartidas que preservem a qualidade do reservatório de Itaipu e colaborem com o tempo de vida útil da usina.
Segundo a Binacional, os investimentos estão ligados diretamente à qualidade de vida da população das cidades. A proposta, que foi apresentada e aprovada pelo corpo técnico de Itaipu, fará a diferença, não só na defesa do meio ambiente, mas também como instrumento para gerar bem-estar para a população de Colombo, destacou a geradora...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53270939/itaipu-repassa-mais-de-r-7-milhoes-para-obras-e-projetos-em-colombo-pr

Alemanha financia usinas de hidrogênio verde no Brasil

Com o objetivo de limpar sua matriz energética e diversificar as fontes de fornecimento após reduzir a compra de gás da Rússia – por causa da guerra travada na Ucrânia –, a Alemanha está patrocinando projetos, pesquisas e eventos ligados ao desenvolvimento do hidrogênio verde no exterior, o que tem beneficiado o Brasil.
As primeiras plantas de hidrogênio verde do País foram inauguradas em agosto de 2023. Ainda são usinas piloto construídas em laboratórios de faculdades – uma na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e outra na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em setembro, foi a vez de a Universidade Federal de Itajubá (Unifei), em Minas Gerais, inaugurar sua pequena usina. Em comum, além de desenvolverem o combustível que é uma das principais apostas do mundo para reduzir as emissões de carbono, os projetos estão recebendo recursos do país europeu...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358705&sid=105

Custo de energia é um dos motivos da desindustrialização do Brasil, diz diretor da Aneel

O diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Sandoval Feitosa, afirmou nesta segunda-feira (20), em evento em São Paulo, que um dos motivos da desindustrialização que o Brasil vive no momento se deve pelo alto custo da energia elétrica aos consumidores. 
Segundo Feitosa, é imperativo promover uma reorganização no setor elétrico, visando evitar que alguns incentivos concedidos ao longo do tempo para setores atualmente dispensáveis não resultem em um aumento adicional nas despesas de energia aos consumidores. 
“Precisaremos de uma reordenação legal e regulatória, porque temos uma capacidade de gerar energia muito competitiva e barata, mas entre a geração de energia e a tomada do consumidor, tem muita coisa que faz com que a tarifa seja muito elevada (...). Este movimento de desindustrialização do país tem que ser visto de várias perspectivas e o custo da energia elétrica seguramente é um dos fatores”, disse Feitosa em seminário promovido pelo jornal Folha de S.Paulo sobre energia limpa e transição energética...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358704&sid=105

País tem capacidade para elevar oferta de energia solar em 100 vezes, diz diretor da Petrobras

O diretor de Sustentabilidade da Petrobras (PETR4), Mauricio Tolmasquim, afirmou que o Brasil possui capacidade para aumentar a energia solar em até 100 vezes. Hoje, segundo o executivo, a capacidade instalada nacional é de 30 gigawatts (GW), valor classificado por ele como um número já relevante, mas que pode aumentar em grande escala.
Com relação a energia eólica, Tolmasquim acrescentou que a capacidade instalada nacional também está próxima de 30 gigawatts, mas que é possível multiplicar esse total em 25 vezes considerando apenas o potencial em terra (onshore).
Sobre o montante em alto-mar (offshore) “é outro potencial enorme”, acrescentou o diretor de sustentabilidade da Petrobras.
“Temos um potencial de recursos não apenas em quantidade, mas qualidade. O mesmo aerogerador colocado no Brasil deve produzir o dobro de energia que o mesmo produto na Europa. Traduzimos isso como fator de capacidade. Temos a abundância, mas não apenas nos recursos, mas a abundância com qualidade, o que nos permite ter baixo custo”, afirmou Tolmasquim durante o seminário “Energia limpa: A transição energética no Brasil” realizado pela Folha de S.Paulo nesta segunda-feira, 19.

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/mercados/pais-tem-capacidade-para-elevar-oferta-de-energia-solar-em-100-vezes-diz-diretor-da-petrobras/

23/02/2024

AES pode anunciar venda até o fim do semestre e deixar o País

A norte-americana AES Corp, controladora da geradora de energia AES Brasil, começa a analisar propostas vinculantes de compra da operação brasileira em março e a expectativa é de que o negócio seja anunciado até o fim do primeiro semestre. A proposta vinculante é o passo final da transação de venda, no qual são apresentados o preço final e as condições de contrato. O negócio começou a ser trabalhado no ano passado e a intenção da norte-americana é deixar o Brasil e investir em outros mercados. Entre os potenciais compradores são citados nomes como a geradora chinesa CTG, a francesa Engie, e os grupos de energia integrados CPFL e Equatorial.
“É uma saída completa”, comenta uma fonte. A empresa americana foi um dos maiores investidores no setor elétrico no Brasil nos anos 90, mas o jogo mudou. A operação americana do grupo cresceu muito e a própria AES acabou reciclando os negócios no Brasil, com a venda da distribuidora gaúcha AES Sul para a CPFL, em 2016, e da Eletropaulo para a italiana Enel, em 2018, além da geradora térmica Uruguaiana ao grupo argentino Saesa, em 2020…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358821&sid=105

Light rompe o sigilo: o que avançou e o que emperrou com os credores

Com o fim do prazo de confidencialidade acordado entre a Light e um grupo de credores, a companhia de energia abriu hoje os detalhes da proposta e contrapropostas que foram à mesa desde novembro. Foram quatro fases, entre réplica e tréplicas, chegando a alguns pontos de consenso e outros ainda divergentes. 
As conversas trataram de condições de renegociação tanto para bondholders quanto debenturistas, muitas delas já antecipadas pelo Pipeline. São basicamente oito itens, dos quais quatro pacificados (como tamanho do aumento de capital e não haver deságio) e outros quatro pendentes (incluindo preço de conversão em ação e taxa da nova dívida). 
Até aí houve consenso, mas continua em aberto o preço da conversão, uma vez que a companhia quer como parâmetro a média de cotação de 45 dias, e os credores, que inicialmente não tinham colocado contraponto no item, subiram a barra na última contraproposta, em 30 de janeiro. Os credores querem a ação emitida ao preço médio de 360 dias, com um desconto de 15%...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358772&sid=105

Neoenergia Coelba identifica e remove mais de 110 mil 'gatos' de energia na Bahia em 2023

A Neoenergia Coelba identificou e removeu mais de 112 mil ligações clandestinas, conhecidas como 'gatos de energia', na Bahia, em 2023, uma média de 311 por dia. Como resultado das operações, a distribuidora recuperou mais de 400 milhões de quilowatt/hora de energia, que seria suficiente para abastecer todo o município de Feira de Santana durante nove meses. Este foi o maior volume de energia recuperada da história.
Em comparação a 2022, a energia recuperada pela distribuidora em 2023 teve um aumento de 4%. No ano passado, os profissionais da concessionária realizaram cerca de 220 mil inspeções em todos os municípios da Bahia.
“A tecnologia aumenta a assertividade das ações que a Neoenergia Coelba realiza em campo. Devido aos sistemas de monitoramento instalados na rede elétrica, conseguimos identificar uma possível fraude em qualquer lugar da Bahia a partir do nosso centro em Salvador. Por isso, podemos afirmar que quem está furtando energia será identificado e terá a devida sanção”, destacou o gerente da Receita da Neoenergia Coelba, Rodrigo Almeida...

Fonte: Portal Salvador Fm

Leia mais em:

https://www.portalsalvadorfm.com.br/noticias/127110,neoenergia-coelba-identifica-e-remove-mais-de-110-mil-gatos-de-energia-na-bahia-em-2023

Scotland deploys its first autonomous robot for substation inspection

A new autonomous robot to help check electrical equipment is being deployed at SSEN Transmission’s Blackhillock high-voltage direct current (HVDC) switching station in Keith later this month – the first deployment of its kind in Scotland.
The new robot – known as EXTRM MK4.1 – has been developed by tech company Ross Robotics and is being used in electricity high-voltage converter stations to help monitor and inspect electrical components, identifying any faults or future maintenance requirements.
The roll-out of the robot follows on from a successful two-week trial at SSEN Transmission’s Noss Head Switching Station in Wick in 2023, which allowed project teams to run a series of tests and programmes for the new robot.  The robot’s new home in SSEN Transmission’s HVDC converter station in Blackhillock, near Keith, marks the first time such technology has been used on the electricity transmission network in Scotland.
HVDC converter stations operate at an extremely high voltage level of electricity, meaning service personnel cannot access many of the electrical environments when energised and in operation...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/new-technology/scotland-deploys-its-first-autonomous-robot-for-substation-inspection/

Relatório do MME recomenda relicitar Amazonas Energia

O Grupo de Trabalho Concessões de Distribuição dos estados do Amazonas e do Rio de Janeiro (GT CDAR) publicou relatório com a análise da situação da Amazonas Energia. O grupo recomenda a troca de concessionário, seguindo a recomendação da Aneel de caducidade da concessão. Essa ação indicada deriva da situação da empresa e consta como uma das medidas necessárias para a manutenção da sustentabilidade econômica e financeira da concessão.
A análise realizada confirma a situação delicada daquela concessionária que é o resultado da insustentabilidade econômica e financeira com a combinação de baixa geração de caixa com elevado e crescente nível de endividamento, além de inadimplência intrassetorial.
“As principais causas são os elevados níveis de perdas não técnicas e receitas irrecuperáveis. Como foram estabelecidas uma série de condições transitórias para o processo de licitação e o concessionário não obteve êxito em atingir referenciais eficientes na gestão das perdas, receitas irrecuperáveis e custos operacionais, o relatório apresenta que a retirada dessas condições transitórias colocará a concessão em situação ainda mais preocupante, com relevantes riscos à prestação adequada do serviço de distribuição e à adimplência com as obrigações intrasetoriais, o que demanda ação tempestiva”...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271346/relatorio-do-mme-recomenda-relicitar-amazonas-energia

EDP investe US$ 2 mi em startup chilena de inteligência artificial

A EDP anunciou um aporte de US$ 2 milhões na Splight, startup chilena que desenvolve tecnologias de inteligência artificial e ciência de dados visando promover máxima eficiência em sistemas relacionados à geração de energia renovável. Este é o primeiro investimento já feito pelo veículo de Corporate Venture Capital da empresa, o EDP Ventures, em uma startup da América Latina fora do Brasil, o que reforça o foco em expandir a atuação nessa região.
A decisão tem como base principal o alinhamento do modelo de negócio à estratégia corporativo, o que deve gerar diversas oportunidades relacionadas à operação dos parques renováveis, como integração de dados, otimização de custos de operação e manutenção (O&M), uso de dados para melhorias no processo de construção e para a tomada de decisões na operação, maior clareza sobre a capacidade de rede com a expansão da geração distribuída, entre outras...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271325/edp-investe-us-2-mi-em-startup-chilena-de-inteligencia-artificial

Francisco Arteiro assume diretoria de Operações de Santo Antônio

O Conselho de Administração da Santo Antônio Energia, concessionária responsável pela UHE Santo Antônio (RO, 3.568 MW) elegeu Francisco Arteiro para o cargo de diretor de Operações. Ele substitui Dimas Maintinguer a partir desta quinta-feira, 22 de fevereiro.
Segundo comunicado, a mudança faz parte da iniciativa de otimização da estrutura organizacional definida pelo acionista controlador, Furnas. Maintinguer ocupou o cargo por nove anos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271302/francisco-arteiro-assume-diretoria-de-operacoes-de-santo-antonio

Diretrizes para contratos de distribuidoras devem sair em 30 dias, diz ministro

O Ministério de Minas e Energia pretende apresentar em 30 dias a proposta de decreto com as diretrizes para a renovação das concessões das distribuidoras. O anúncio foi feito pelo ministro Alexandre Silveira, em entrevista na última quarta-feira, 21 de fevereiro.
O MME está avaliando as novas orientações do Tribunal de Contas da União. Em janeiro, o TCU deu sinal verde para que o ministério prossiga com a definição das regras de prorrogação dos contratos das 20 distribuidoras com vencimento até 2031, decidindo que o acompanhamento dos processos aprovados pelo MME será feito caso a caso.
Silveira disse que não discutiu o assunto com a Casa Civil, que em dezembro pediu ao tribunal a retirada do processo das concessões de pauta para uma avaliação com o ministério. Segundo ele, não tem outros ministérios envolvidos na discussão.
O ministro tem repetido que os contratos assinados com as distribuidoras não foram adequados, mas garante que qualquer processo agora vai passar por uma ampla discussão, com mecanismos regulatórios que os tornem mais exigentes e permitam maior cobrança na qualidade do serviço...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271249/diretrizes-para-contratos-de-distribuidoras-devem-sair-em-30-dias-diz-ministro

HRZ Transmissoras conclui compra da LT EDP SP-MG

A HRZ Transmissoras anunciou que na última terça-feira, 20 de fevereiro, concluiu a operação de compra da linha de transmissão EDP Transmissão SP-MG localizados nos estados de Minas Gerais e São Paulo. A aquisição foi feita através da Edify, integrante da HRZ, a plataforma de investimentos em transmissão do fundo britânico Actis. De acordo com a EDP, a venda gerou um enterprise value de R$ 2,6 bilhões e foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica, Agência Nacional de Energia Elétrica e debenturistas.
Os ativos adquiridos foram objeto do Lote 18 do leilão de transmissão 005/2016, com valor de investimento atualizado de R$ 2,5 bilhões e Receita Anual Permitida de R$ 289 milhões. Os ativos estão em operação comercial definitiva desde agosto de 2022. O empreendimento é composto pelos circuitos 1 e 2 da Linha de Transmissão em 500 kV Estreito / Cachoeira Paulista, percorrendo 30 municípios ao todo, com origem na Subestação Estreito, no município de Ibiraci (MG), e término na Subestação Cachoeira Paulista, no município de Cachoeira Paulista (SP)...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271237/hrz-transmissoras-conclui-compra-de-lt-edp-sp-mg

André Augusto Telles Moreira renuncia à presidência da Taesa

A Taesa informou em comunicado ao mercado nesta quarta-feira, 21 de fevereiro, que o conselho de administração aceitou o pedido de renúncia ao cargo do diretor-presidente André Augusto Telles Moreira.
De acordo com a transmissora, o Diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Rinaldo Pecchio Junior, assume interinamente a função enquanto a Taesa realiza o processo de sucessão.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271205/andre-augusto-telles-moreira-renuncia-a-presidencia-da-taesa

Lucro da Isa Cteep sobe para R$ 1,9 bi em 2023

A Isa Cteep fechou 2023 com alta de 107,7% no lucro líquido, saindo de R$ 936,9 milhões para R$ 1,942 bilhão. A companhia apresentou seus resultados financeiros na última terça-feira, 20 de fevereiro, reportando lucro de R$ 900,6 milhões no último trimestre do ano, 147,7% acima na comparação anual, enquanto o Ebitda subiu 30,3% para R$ 826,7 milhões. Já no acumulado do ano o Ebitda avançou 26,9%, para 3,13 bilhões.
A receita líquida computou mais de R$ 3,9 bilhões no ano, mostrando incremento de 22,3%, enquanto na análise trimestral o aumento é de 24,5% para pouco mais de R$ 1,1 bilhão. Por sua vez, a dívida líquida soma R$ 7,9 bilhões, subindo 10,5%. Para a diretora executiva de Finanças e RI, Carisa Portela, o desempenho de 2023 foi impulsionado pela entrada em operação de novos projetos de transmissão, além dos efeitos de reajuste tarifário e do retorno das indenizações conhecidas pela sigla “RBSE”. Agora o objetivo é tocar o plano de R$ 15 bilhões nos próximos anos para novas linhas e subestações e em reforços e melhorias...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271186/lucro-da-isa-cteep-sobe-para-r-19-bi-em-2023

ONS abre consulta sobre procedimentos do PMO e CMO semi-horário

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) abriu consulta externa sobre os Procedimentos de Rede envolvendo o Programa Mensal da Operação Energética (PMO) e o Custo Marginal da Operação (CMO) semi-horário. A medida atende à REN nº 1.078, de 28 de novembro de 2023 e as contribuições serão aceitas até 26 de fevereiro de 2024, por meio desse link. E abaixo a lista com os submódulos que podem receber sugestões:
-Submódulo 2.4 – Critérios para estudos energéticos e hidrológicos (Critérios e novo: Operacional)
-Submódulo 3.3 – Planejamento da operação energética de médio prazo (Responsabilidades e Procedimental)
-Submódulo 4.3 – Programação mensal da operação energética (Responsabilidades e Procedimental)
-Submódulo 4.5 – Programação Diária da Operação (Responsabilidades e Procedimental)...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271049/ons-abre-consulta-sobre-procedimentos-do-pmo-e-cmo-semi-horario

26/02/2024

326 million smart meters across Europe by 2028 – report

The penetration of smart meters across Europe is expected to increase from about 60% in 2023 to 78% in 2028, Berg Insight reports.
In the latest Europe smart meter review, Berg Insight reports that at the end of 2023, there were more than 186 million smart electricity meters – an increase of about 4% over 2022.
By 2028 the installed base is projected to grow at an over 6% CAGR to reach 78% penetration by 2028, driven by second generation rollouts in countries such as the UK, Italy, Spain and Sweden alongside first generation projects in Germany, Poland and Greece.
For 2022, the last year for which data is broken down, Italy was the largest market in terms of shipments with around 2.6 million units installed during the year.
This was followed by the UK with more than 2.5 million units and Sweden with shipments of around 1.4–1.5 million units.
Poland and France rounded out the top five in terms of shipment volumes, while other markets with large installation volumes during the year included Austria and Belgium.
Looking ahead, as countries aim to meet targets, Berg Insight projects a total of more than 88 million smart electricity meters to be deployed across the region from 2024 to 2028…

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/326-million-smart-meters-across-europe-by-2028-report/

Geração cresce 2,7% em janeiro, puxada pelas fontes solar e térmica

A produção nacional de energia elétrica atingiu 73.452 MWmed (megawatts-médios) em janeiro, registrando um aumento de 2,7% em comparação com o mesmo período de 2023. 
Todas as fontes apresentaram crescimento, exceto a eólica. Destaca-se o crescimento da geração solar e térmica, que aumentaram respectivamente em 52,4% (2.945 MWmed) e 20,7% (7.307 MWmed).
A geração de eletricidade a partir da força dos ventos alcançou 7.437 MWmed, uma queda de -14,5%. Enquanto isso, a produção hidrelétrica atingiu 55.763 MWmed, representando um aumento de 1,6%.
Chama a atenção o aumento na geração termelétrica. Nos últimos três meses, essa fonte vem apresentando crescimento acima de dois dígitos (23,5% em novembro e dezembro e 20,7% em janeiro).
De acordo com a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), a escassez de chuvas durante o período úmido e as temperaturas elevadas resultam em uma menor geração hidráulica e maior geração térmica para atender à demanda...

Fonte:Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/geracao-cresce-27-em-janeiro-puxada-pelas-fontes-solar-e-termica/

Governo estimula distribuidoras a renovar concessão

A proposta do governo para a renovação dos contratos de concessão de 19 distribuidoras de energia, que aguarda edição de decreto presidencial, está sendo desenhada para estimular adesão de boa parte das concessionárias antes de acabar o mandato do presidente Lula. A estratégia passa por definir um conjunto de regras que convença os sete grupos que detêm o controle das distribuidoras a fazerem adesão antecipada. 
Estratégia semelhante foi adotada na prorrogação de contratos de outro grupo de distribuidoras em 2015. Desta vez, o chamariz viria da oferta de incentivos regulatórios para tornar o negócio mais rentável, combinado com o maior atrativo da renovação: ganhar mais 30 anos para explorar o serviço com regras atualizadas à realidade do mercado. 
O Valor apurou que, segundo a avaliação do governo, melhores condições contratuais poderiam atrair outras 12 concessionárias que estão fora do processo de renovação, mas coligadas às 19 distribuidoras com fim dos contratos até 2031. Neste caso, as empresas poderiam negociar aditivos para adequar os contratos atuais aos novos critérios, porém sem obter prazo adicional. Se a estratégia der o resultado esperado, a adesão ao novo modelo contratual alcançaria 31 concessionárias...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358860&sid=105

Transição energética tem só metade da infraestrutura, diz diretora do BNDES

O Brasil chega à transição energética com metade da infraestrutura que deveria ter, apesar das vantagens comparativas do País, afirmou a diretora de infraestrutura, transição energética e mudança climática do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), Luciana Costa.
Ela listou como vantagens: estabilidade geopolítica; matriz energética 47% limpa (87%, se considerada só a matriz elétrica); minerais críticos; garantia de segurança alimentar para o País e para o mundo; etanol; biomassa; e o fato de ser o quinto produtor de biometano do mundo.
“Nenhum país tem todas essas vantagens comparativas combinadas, só que a gente tem um País que tem metade da infraestrutura que deveria ter. O nosso desafio é o custo de capital e concorrer com países que estão lançando planos de subsídios. A gente está vendo algumas indústrias que poderiam estar aqui indo para os Estados Unidos produzir SAF (bioquerosene de aviação) e biocombustíveis”, disse a diretora em entrevista na sexta-feira...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358865&sid=105

Hidrelétricas precisam desperdiçar energia por causa das energias eólica e solar; Entenda

Ao longo das últimas quatro décadas, o cenário da matriz elétrica brasileira vem passando por transformações significativas. Enquanto as hidrelétricas dominavam, representando 90% da matriz há 40 anos, atualmente essa participação reduziu para 53%, com previsão de queda para 42% nos próximos sete anos, segundo estimativas oficiais.
A migração de investimentos para fontes alternativas, como eólica e solar, mais acessíveis economicamente, é o principal fator desse declínio. No ano passado, as hidrelétricas chegaram a desperdiçar 16 gigawatts de energia em fevereiro, representando 21% da demanda total do país naquele mês.
A matriz elétrica, que contava com apenas quatro fontes em 1985, agora possui pelo menos dez, sendo seis delas renováveis. As favoritas dos investidores atuais são a energia eólica (11,5%) e solar (11,8%), com projeções de alcançarem 11% e 18%, respectivamente, em 2031, de acordo com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE)...

Fonte: Terra Brasil Notícias

Leia mais em:

https://terrabrasilnoticias.com/2024/02/hidreletricas-precisam-desperdicar-energia-por-causa-das-energias-eolica-e-solar-entenda/

Itron and Schneider Electric announce grid edge integration

Itron and Schneider Electric have announced a collaboration, integrating their intelligent grid and distributed energy resource (DER) management solutions to digitalise the demand and supply of electricity.
The integration of Itron’s grid edge intelligence solutions to Schneider’s digital grid solutions aims to enable grid edge data analysis to optimise grid planning and operations to increase grid capacity while deferring infrastructure investments.
According to the companies, the integration is aimed to improve energy and grid management for utilities as homeowners and businesses increasingly adopt DERs, such as rooftop solar, battery energy storage, electric vehicles and microgrids at the grid edge.
In a joint release announcing the integration, the companies state that with more DERs coming online and more data being generated at the grid edge, the opportunity is provided to harness, aggregate and analyse that data to produce actionable insights for grid management...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-grid/itron-and-schneider-electric-announce-grid-edge-integration/

Governo federal recomenda troca de distribuidora de energia no Amazonas

O Ministério de Minas e Energia (MME) entende que há necessidade de troca do concessionário de distribuição de energia no estado do Amazonas, que enfrenta graves desequilíbrios financeiros e dívidas bilionárias, e ressaltou que mudanças legislativas são importantes para garantir a sustentabilidade da concessão.
Segundo relatório de um grupo de trabalho da pasta, uma ação é necessária porque a situação da Amazonas Energia deve ser agravada neste ano, com o término de medidas de alívio definidas no passado.
Após cinco anos no comando, o grupo privado que adquiriu a distribuidora da Eletrobras (ELET3;ELET6) não conseguiu melhorar a concessão do ponto de vista econômico-financeiro e operacional. O diagnóstico consta de relatório publicado na quinta-feira (22), elaborado por um grupo que analisou a situação das distribuidoras de energia do país que sofrem com desequilíbrios devido a questões estruturais de suas concessões: Amazonas Energia, Light (LIGT3) e Enel Rio...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/politica/ministerio-de-minas-e-energia-recomenda-troca-de-concessionario-no-amazonas/

Aneel anuncia bandeira verde para março

A Agência Nacional de Energia Elétrica decidiu manter em março a bandeira tarifária verde, chegando ao vigésimo terceiro mês consecutivo sem cobrança adicional nas faturas de energia elétrica dos consumidores regulados. O mecanismo que reflete as condições de geração de energia no país tem apontado um cenário favorável desde abril de 2022, há quase dois anos.
A bandeira verde é acionada quando o cenário é considerado confortável pela agência reguladora. Dependendo do custo de geração, a Aneel pode optar pela bandeira amarela ou pela vermelha, nos patamares 1 ou 2, que representam um valor adicional na tarifa a cada 100 kWh consumidos

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271548/aneel-anuncia-bandeira-verde-para-marco

Brasil importa 21 toneladas de urânio da Rússia para Angra 1

A Indústrias Nucleares do Brasil recebeu na última quinta-feira, 22 de fevereiro, cerca de 21 toneladas de urânio enriquecido importado da Rússia. O material chegou ao Porto do Rio de Janeiro acondicionado em 14 cilindros e foi transportado no mesmo dia para a Fábrica de Combustível Nuclear da INB, em Resende (RJ), onde será utilizado na fabricação dos elementos combustíveis para a 29ª recarga da central nuclear Angra 1.
O elemento enriquecido será utilizado para a fabricação de 44 elementos combustíveis, contribuindo para a geração de energia com baixa emissão de carbono. As paradas para reabastecimento de Angra 1 ocorrem aproximadamente a cada 14 meses, e nessas ocasiões é trocado 1/3 do total de elementos combustíveis. Cada elemento permanece no reator por três ciclos.
A carga foi acondicionada em cinco contêineres. O transporte, planejado e coordenado pela INB cumprindo os Planos de Transporte aprovados pelos órgãos de controle, contou com o apoio e a participação do Departamento de Coordenação de Assuntos Nucleares (DCANuc) do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSIPR), da Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis do Rio de Janeiro (Cesportos-RJ), Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar do RJ e da Agência Brasileira de Inteligência e Guarda Portuária-RJ.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271448/brasil-importa-21-toneladas-de-uranio-da-russia-para-angra-1

ONS: carga no SIN deve ter variação de 3,8% em março

A carga no Sistema Interligado Nacional deve ter um aumento de 3,8% em março, de acordo com dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico divulgados nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, durante a Reunião do Programa Mensal da Operação. O valor está ligeiramente acima dos 3,6% previstos anteriormente e no Planejamento 2024-2028. Para abril, a variação na carga esperada pelo PMO e o planejamento é de 4,7%. Em 2024, a expectativa é de uma subida de 3,2% na carga, pouco abaixo dos 3,5% do planejamento 2024-2028.
Na reunião, foi mostrado que em fevereiro perduraram as características do El Niño. Segundo o operador, as bacias da região Norte registraram elevado grau de precipitação, com destaque para a bacia do rio Madeira, onde o trecho boliviano teve chuvas perto da média mensal. As vazões do trecho brasileiro ainda não capturaram essa variação.
O trecho entre as usinas Três Marias e Sobradinho, no rio São Francisco, teve pelo segundo mês seguido precipitações acima da média histórica. Há um déficit na Bahia que faz com que as vazões do rio continuem abaixo da média histórica...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271330/ons-carga-no-sin-deve-ter-variacao-de-38-em-marco

28/02/2024

Mercado livre de energia está muito além da liberdade de escolha para pequenas e médias empresas

No setor de energia elétrica, a compreensão da palavra remete ao mercado livre, que nada mais é do que um ambiente de negociação em que todos os participantes têm a chance de acordarem todas as condições comerciais incluindo preço, quantidade de energia contratada, período de abastecimento e condições de pagamento, entre outros pontos, sem vínculo obrigatório com o atual fornecedor de energia.
No início do ano, o Brasil deu um importante passo para estimular a migração ao mercado livre. A partir de agora, todos os clientes conectados em média e alta tensão (Grupo A), com consumo em torno de 30 kW e contas de R$ 5 mil ou mais, podem ingressar no Ambiente de Contratação Livre (ACL). Além de escolherem o fornecedor de preferência, os clientes têm espaço para livre negociação da prestação do serviço de energia, os valores de suas contas, com atendimento especializado. A novidade atende, principalmente, a pequenas e médias empresas, com padarias, hospitais e fábricas… 

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/bussola/mercado-livre-de-energia-esta-muito-alem-da-liberdade-de-escolha-para-pequenas-e-medias-empresas/

Light: WTN, ligada a Nelson Tanure, eleva participação para 35,05% do capital social da companhia

A Light recebeu correspondência da WNT Gestora de Recursos informando que passou a deter, por meio dos fundos de investimento e carteiras administradas por ela geridos, 130.493.600 ações ordinárias, equivalente a participação de 35,03% do capital social da Companhia.
O comunicado foi feito pela companhia (BOV:LIGT3) nesta quarta-feira (28).
A WNT ainda esclarece que referida participação foi adquirida com o objetivo de aumentar a exposição dos fundos de investimento sob sua gestão à Companhia, de modo que não objetiva alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da Companhia, não havendo, contudo, qualquer acordo ou contrato regulando o exercício do direito de voto ou a compra e venda de valores mobiliários de emissão da Companhia por parte dos Fundos, exceto no que diz respeito ao manual de exercício de direito de voto da WNT.

Fonte: Adv Fn

Leia mais em:

https://br.advfn.com/jornal/2024/02/light-wtn-ligada-a-nelson-tanure-eleva-participacao-para-35-05-do-capital-social-da-companhia

DISTRIBUTECH keynote message: AI can build the grid of the future and improve our work lives

Zach Kass didn’t need to tell attendees at DISTRIBUTECH International that he’s an “AI optimist.” His enthusiasm for this technology was pretty obvious when he said, for example, “AI was the last technology that humans will invent on our own.”
Kass is an AI futurist and former head of Go-To-Market at Open AI. He navigates the challenges and opportunities that lie at the forefront of AI innovation. He dissects the paradoxical landscape where technology moves at an astounding pace, yet practical, scalable solutions remain elusive.
Whether or not you agree with his thought-provoking projections for the future of AI, it is clear this technology has massive implications for not just our lives but the energy industry as a whole. Personal concerns and issues aside, the potential contributions of AI to our work lives are … close to limitless, it seems...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/smart-grid/distributech-keynote-message-ai-can-build-the-grid-of-the-future-and-improve-our-work-lives/

Câmara aprova urgência para PL que obriga aval do Congresso para renovar concessão da Enel em SP e Light no RJ

A Câmara dos Deputados aprovou, por 339 votos a 82, requerimento de urgência para projeto de lei que submete à decisão do Congresso Nacional a prorrogação das concessões de distribuição de energia elétrica de 20 distribuidoras de energia privatizadas na década de 1990, entre elas a Light (no Rio de Janeiro), a Coelba (na Bahia) e a Enel (em São Paulo).
O requerimento de urgência permite que o projeto seja votado direto no plenário, sem precisar passar pelas comissões. 
A proposta foi apresentada pelo deputado João Carlos Bacelar (PL-BA) em outubro, diante da pressão para suspender o contrato de Enel em São Paulo após o fornecimento de energia ficar suspenso na cidade durante dias por causa das chuvas.
Autor do projeto, o deputado defendeu que cabe ao Congresso, como representante do povo, decidir se os serviços são bem-prestados e se cabe a renovação. “Aqui é uma caixa de ressonância da vontade do povo. Os prefeitos e governadores estão contra a renovação, por causa do serviço ruim, não dá para o governo federal renovar por decreto”, afirmou...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358960&sid=105

Turbinas sem hélices prometem revolucionar energia eólica

Nem bem começaram a ocupar seu espaço, as fazendas eólicas, com seus gigantescos cataventos, logo poderão ter um aspecto completamente diferente, graças a uma nova tecnologia de geradores eólicos sem hélices.
Em vez de gigantescas hélices, que coletam o vento e movimentam um gerador elétrico comum, instalado na nacele, as turbinas eólicas sem hélices aproveitam a energia eólica vibrando com a passagem do vento, gerando energia de forma mais eficiente.
Os benefícios desta tecnologia são inúmeros. Primeiro, ela promete ser cerca de 30% mais barata do que as turbinas convencionais, graças aos menores custos de instalação e de manutenção. Além disso, essas turbinas sem hélices são capazes de operar em locais com velocidades de vento menores, onde os geradores convencionais não seriam eficazes.
Outro aspecto notável é a sua capacidade de operar silenciosamente - pode não parecer, mas as turbinas eólicas com hélices fazem um ruído gigantesco, que incomoda pessoas e animais. E, por apenas vibrarem, as turbinas sem hélices não representam ameaça aos animais voadores, como pássaros, morcegos e insetos...

Fonte: Abinee - Inovação Tecnológica

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358907&sid=105

ISA Cteep conquista certificação ISO 55.001

A ISA Cteep conquistou a certificação ISO 55.001, para o escopo criar, operar, manter e renovar os ativos físicos do sistema de transmissão de energia elétrica próprios e das subsidiárias, incluindo subestações e linhas de transmissão aéreas e subterrâneas.
Segundo a diretora-executiva de operações da companhia, Gabriela Desirê, a certificação não somente evidencia a excelência operacional da ISA Cteep na gestão dos ativos, como reforça a orientação da empresa em promover a melhoria contínua de seus processos na prestação dos serviços à sociedade, com otimização operacional, redução de riscos, economia de custos e conformidade com padrões internacionais.
A certificação atesta a conformidade com os requisitos da ISO 55.001, os quais orientam a adoção de melhores práticas, respaldando o compromisso da companhia com a excelência operacional e a integração de padrões internacionais em suas operações. A empresa alcança um nível elevado na cultura de gestão de ativos e assegura a sustentabilidade em suas ações, o que deverá guiar as tomadas de decisões ao longo do ciclo de vida dos ativos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271757/isa-cteep-conquista-certificacao-iso-55-001

Aneel rejeita tratamento excepcional para troca de medidores da CPFL Paulista

A diretoria da Aneel negou pedido da CPFL Paulista de tratamento tarifário excepcional para troca de todos os medidores da área de concessão da distribuidora por equipamentos inteligentes. A proposta previa a redução do componente Pd do Fator X, que é um mecanismo de compartilhamento de ganhos de eficiência com o consumidor, para tornar viável o investimento.
Os novos equipamentos tem vida útil estimada em 13 anos e seriam implantados em programa específico de investimentos em novas tecnologias. O sistema é composto por um medidor único com módulo de comunicação capaz de oferecer todas as modalidades tarifárias vigentes para consumidores em baixa tensão, eliminando a necessidade de substituição de medidores em função de solicitações de mudanças tarifárias, e com a vantagem de ter operação remota...

Fonte:Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271811/aneel-rejeita-tratamento-excepcional-para-troca-de-medidores-da-cpfl-paulista

Relatório indica que Brasil pode liderar mercado de aço verde

O Brasil pode ser tornar uma potência do aço verde. A conclusão é da E3G na elaboração do perfil do Brasil no relatório Raising ambition on steel decarbonisation: The 2023 E3G Steel Policy Scorecard e que contou com apoio do Instituto E+ Transição Energética. Foram analisados 11 países e seu posicionamento nesse segmento da economia. No relatório, são indicados a grande disponibilidade de energia limpa e de minério de ferro brasileiros que podem colocar o país nesse papel de liderança. A contribuição do think tank brasileiro destacou as condições da indústria siderúrgica nacional contribuir na descarbonização do setor globalmente.
O relatório destaca que o Brasil gerou quase 93% da sua eletricidade a partir de fontes limpas em 2023. E aponta que o potencial remanescente de energia renovável pode alimentar as aspirações do país para a reindustrialização verde. “O país precisa de incorporar a descarbonização do aço no seu esforço para ser uma potência verde. Como Presidente do G20 em 2024, pode impulsionar uma agenda para acordos internacionais e clubes de compras de aço verde”, afirma a entidade em seu relatório. Em geral, a avaliação é de que o país tem um perfil único na indústria siderúrgica...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271692/relatorio-indica-que-brasil-pode-liderar-mercado-de-aco-verde

Light propõe novo plano de recuperação

A Light propôs um novo plano de recuperação judicial a seus credores. A decisão foi tomada pelo conselho de administração da companhia em reunião na última sexta-feira, 23 de fevereiro. A ideia é de pagar aos credores de menor porte, de até R$ 30 mil, 100% do valor em até 90 dias da homologação do plano. Aos demais há diferentes períodos de amortização e de pagamento.
O plano prevê o aporte de novos recursos de até R$ 1,5 bilhão, sendo intenção dos acionistas de referência o aporte de R$ 1 bilhão desse total. A proposta, argumenta a empresa, assegura a sustentabilidade econômico-financeira da Light com a previsão de pagamento em condições classificadas como vantajosas aos credores apoiadores que aderirem ao plano.
O chamado PRJ Modificativo “visa a adequar determinados termos e condições anteriormente propostos com vistas a um maior alinhamento com os interesses dos credores da companhia e outros stakeholders, a superação da atual situação econômico-financeira e seus eventuais reflexos e, sobretudo, a continuidade da prestação dos serviços no âmbito das concessões de titularidade do Grupo Light, a preservação de valor e a promoção de sua função social”, diz comunicado da companhia...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271671/light-propoe-novo-plano-de-recuperacao

GoodWe lança inversores híbridos e de retrofit de 100 kW

A GoodWe expandiu seu portfólio de soluções de armazenamento de energia C&I (Comercial e Industrial) com duas novas adições: o inversor híbrido ETC 100 kW e o inversor de retrofit BTC 100 kW, ambos acopláveis ao sistema de bateria de alta tensão Lynx C da empresa (101 kWh – 156 kWh).
Segundo a fabricante, os inversores ETC/BTC 100 kW, com uma ampla faixa de tensão de bateria e um design modular, oferecem grande flexibilidade e fácil instalação. Os equipamentos podem mudar para o modo de backup em menos de 0.01 segundo, garantindo um fornecimento de energia ininterrupto para cargas críticas.
O corte de pico é outra função importante suportada pelos inversores ETC/BTC. Utilizando o sistema de armazenamento durante períodos de alta demanda de energia, os produtos podem ajudar a reduzir os custos de demanda de pico e baixar os custos de eletricidade gerais para os clientes.
A bateria Lynx C é uma bateria de lítio ferro fosfato de alta capacidade que pode ser usada em conjunto com os inversores ETC/BTC para fornecer soluções de armazenamento de energia confiáveis e escaláveis para aplicações C&I...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/goodwe-lanca-inversores-hibridos-e-de-retrofit-de-100-kw/

bottom of page