01/08/2022

Mudança no setor elétrico provoca corrida pela energia solar

A perspectiva de votação no Congresso Nacional de um projeto de lei que desregulamenta o setor elétrico e a cobrança da “taxa do fio” na geração solar fotovoltaica a partir do ano que vem estão promovendo uma correria das empresas para ampliar a capacidade ou entrar na geração de energia solar.

Na corrida pelo sol estão grandes distribuidoras de energia, empresas de comercialização no mercado livre e grandes consumidores, além de novos negócios, em busca de assegurar presença no mercado de geração solar fotovoltaica distribuída (usinas de até 5 MW), cuja capacidade instalada cresceu 70% em 12 meses e atingiu a marca histórica de 11,31 gigawatts (GW). Nas residências e pequenas empresas, a perspectiva de encarecimento da tarifa de energia elétrica e a inflação motivam a expansão de painéis instalados nos telhados.

As mudanças legais que estão movimentando o setor começaram no início deste ano, com a sanção da Lei 13.400, o marco legal da geração solar distribuída, que estabelece a cobrança da tarifa de uso do sistema de distribuição (Tusd) para os projetos instalados a partir de 2023, garantindo isenção até 2045 para os sistemas instalados até o fim deste ano...

Fonte: O Estado de Minas

Leia mais em:

https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2022/08/01/internas_economia,1383726/mudanca-no-setor-eletrico-provoca-corrida-pela-energia-solar.shtml

Argo Energia compra 5 linhas de transmissão da Brookfield por 815 milhões de euros

A Argo Energia, da espanhola Redeia e do Grupo Energía Bogotá (GEB), fechou a aquisição de cinco linhas de transmissão de energia controladas por um fundo da canadense Brookfield por 815 milhões de euros, segundo comunicado divulgado no fim de semana.

O negócio envolve ativos da Quantum, que colocou parte de seu portfólio à venda neste ano, como publicou a Reuters em janeiro.

As cinco concessões de transmissão compradas pela Argo Energia estão em operação e somam 2.416 quilômetros de linhas, 20 subestações, e receita anual permitida (RAP) de 133 milhões de euros.

A aquisição fará da Argo Energia uma das principais operadoras de transmissão do país, disse a Redeia, controladora da empresa, em comunicado.

"Graças a esta aquisição Argo Energía duplicará seu tamanho e fortalecerá sua liderança, especialmente na região Nordeste do Brasil, uma das áreas com maior potencial renováveis ​​e com maiores necessidades de desenvolvimento de infraestrutura no país".

A operação está sujeita ao cumprimento dos termos e condições usuais, como aval da agência reguladora Aneel e do órgão antitruste Cade.

Fonte: Época Negócios

Leia mais em:

https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2022/08/epoca-negocios-argo-energia-compra-5-linhas-de-transmissao-da-brookfield-por-815-milhoes-de-euros.html

Em evidência por causa de projetos de prédios residenciais e da expansão do VLT até o Caju, a região central do Rio terá mais um estímulo para sua revitalização nesse período pós-pandemia. A Pier Mauá, concessionária que faz a gestão do Porto, anunciou que vai transformar o galpão onde fica o grafite ‘‘Etnias’’, de Eduardo Kobra, num centro de convenções de médio porte. A ideia é disputar o mercado nacional de feiras e exposições com São Paulo, se valendo da proximidade com o Aeroporto Santos Dumont, com a Rodoviária do Rio e até com o Galeão. Além disso, o espaço pode ser alternativa ao pioneiro Riocentro, na Barra da Tijuca, e ao Expomag (ex- Centro de Convenções SulAmérica), na Cidade Nova.

O ponto de partida do plano será em setembro. Mesmo sem estar com toda a infraestrutura adaptada, o prédio será usado pela primeira vez neste novo formato pela 20ª edição da Rio Oil & Gas — do dia 26 ao dia 29. A feira mundial de energia também vai ocupar outros três galpões da Pier Mauá, que tradicionalmente já recebem atividades. Será a primeira vez que o Boulevard Olímpico abrigará o congresso, considerado a maior plataforma de negócios e geração de conhecimento do setor na América Latina. Desde sua primeira edição em 1982 (e exceto em 2020, quando foi totalmente virtual por causa da pandemia de Covid-19), o evento bianual tinha como palco o Riocentro, espaço da prefeitura que hoje está concedido à iniciativa privada…

Fonte: O Globo

Leia mais em:

https://oglobo.globo.com/rio/noticia/2022/08/feira-de-energia-vai-inaugurar-novo-centro-de-convencoes-na-zona-portuaria-do-rio.ghtml

Estudo aponta que 23 fabricantes adotam tecnologia 600 W+

Um relatório da TrendForce sobre o segmento de fornecimento de painéis fotovoltaicos e soluções de energia no segundo trimestre de 2022 apontou que chegou a 56 o número de empresas capazes de produzir células fotovoltaicas de 210mm.

Essas fabricantes são responsáveis por 80% da produção de células no setor, o que sinaliza uma forte expansão dos produtos com essa capacidade no mercado, em um crescimento anual de 51%. Ao todo, já são 23 fabricantes de módulos adotando a tecnologia de 600W+.

“Aumentou significativamente a proporção de módulos grandes de 182 e 210 mm (incluindo 210R) comprados e em uso. Este ano, os de alta potência (≥530W), representados por variações entre 182 e 210mm (incluindo 210R), tornaram-se populares em empresas centrais e estatais”, disse o estudo.

Uma análise dos 89,4 GW anunciados de propostas de painéis indica que cerca de 72,2 GW (77%) deles não têm requisitos específicos de tamanho e desejam apenas potência de 530 W ou superior.

“Enquanto, 17,2 GW das propostas têm requisitos específicos de tamanho de módulo, dos quais grandes variações (182 e 210 mm) representam 13,97 GW, ou 81,2% (proporção para tamanhos especificados por 17,2 GW)”, relataram.

Outro ponto ressaltado pela TrendForce é que a demanda por módulos bifaciais aumentou consideravelmente, respondendo por 62% das propostas. Assim, os bifaciais e de vidro duplo estão cada vez mais sendo reconhecidos no mercado.

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/estudo-aponta-que-23-fabricantes-adotam-tecnologia-600w/

Nesta sexta-feira, 29 de julho, a CSN, por meio da sua afiliada Companhia Florestal do Brasil, arrematou a CEEE-G, braço de geração do Grupo CEEE, por R$ 928 milhões, ágio de 10,93% ante o mínimo de R$ 836 milhões. De acordo com a companhia, a aquisição está alinhada com a estratégia de fortalecer seu segmento de energia e, ao mesmo tempo, avançar na busca pela autossuficiência de energia elétrica, de fontes renováveis, afim de suportar a demanda crescente das operações projetada para os próximos anos e manter o controle sobre o custo de um insumo de grande importância para a indústria eletrointensiva.

A companhia também afirmou que além da autossuficiência e controle de custo, a CEEE-G será uma importante plataforma de desenvolvimento de novos projetos de geração de energia, além de consolidar importantes sinergias com as aquisições das PCHs Sacre II e Santa Ana e UHE Quebra Queixo anunciadas recentemente. Para finalizar, a CSN declarou que reforça seu compromisso com o crescimento sustentável de suas operações, investindo em fontes renováveis de energia, sem abrir mão de sua disciplina financeira...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53220356/csn-pretende-fortalecer-segmento-de-energia-com-compra-da-ceee-g

Aneel anuncia bandeira verde em agosto

A bandeira tarifária vai continuar verde no mês de agosto, sem custo adicional para o consumidor. O anúncio foi feito pela Agência Nacional de Energia Elétrica nesta sexta-feira, 29 de julho.

O mecanismo das bandeiras é aplicado desde 2015 e vale para os consumidores do Sistema Interligado Nacional que são atendidos em baixa tensão pelas distribuidoras. A cor verde significa que as condições de geração de energia nas usinas hidrelétricas estão favoráveis e não há necessidade de despacho de usinas térmicas mais caras.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53220371/aneel-anuncia-bandeira-verde-em-agosto

Consumo de energia no setor de serviços cresce com retomada em centros comerciais

Levantamento da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) mostra que de janeiro a junho foi registrado um consumo de 1.743 MW médios no segmento de serviços, alta de 25,7% em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a CCEE, a principal explicação para o crescimento da demanda por energia no setor é a superação da fase mais aguda da pandemia de COVID-19.

A classe com maior crescimento (22,9%) é a de condomínios prediais, que engloba shoppings e centros comerciais. Na evolução por estado, destaque para Pernambuco (71,4%), Minas Gerais (37,6%), São Paulo (25,7%), Bahia (25,2%) e Rio Grande do Sul (24%).

Além disso, a CCEE destacou que a principal razão para o avanço no ramo de serviços é o retorno de eventos públicos, como shows, feiras e festas como as de carnaval e junina. Vale destacar que as informações de consumo monitorados periodicamente pela CCEE são de indústrias e grandes empresas que compram energia no Ambiente de Contratação Livre – ACL, o chamado mercado livre.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53220280/consumo-de-energia-no-setor-de-servicos-cresce-com-retomada-em-centros-comerciais