top of page

01/07/2024

MME publica regras para leilões de compra de energia

O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou nesta segunda-feira (1) portaria com as diretrizes para o leilão de compra de energia elétrica nas modalidades Energia Existente A-1, A-2 e A-3, de 2024. Os certames serão realizados no dia 6 dezembro e os contratos terão prazo de suprimento de 2 anos, com início em janeiro de 2025 (A-1), janeiro de 2026 (A-2) e janeiro de 2027 (A-3).
Os leilões, segundo a pasta, serão para atender as necessidades das distribuidoras e contratar energia mais barata para os consumidores finais, “diante do cenário de sobre oferta e de baixos preços”.
A energia será contratada de empreendimentos já existentes, na modalidade por quantidade, e seguindo as regras do mercado regulado, para qualquer tipo de fonte.
Atualmente, a maioria dos contratos é reajustado anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Na prática, isso faz com que a inflação passada se propague, influenciando preços futuros…

Fonte: Agência Brasil.ebc

Leia mais em:

https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2024-07/mme-publica-regras-para-leiloes-de-compra-de-energia

Cemig pode passar para União; Lula voltaria a controlar empresa de energia

Avançaram na última semana as negociações entre o ministério da Fazenda e os governos estaduais endividados. As conversas estão sendo mediadas pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD/MG), e envolvem a possibilidade de federalização de ativos estaduais. Entre eles estão três empresas mineiras: Cemig (energia), Copasa (água e saneamento) e Codemig (exploração mineral).
Se a federalização da Cemig se concretizar, o governo Lula voltará a ter o controle sobre uma empresa de energia. O presidente Lula assumiu a sua terceira gestão já após a desestatização da Eletrobras e tenta em um acordo de conciliação mediado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) ampliar o seu poder de voto nas decisões da empresa, privatizada em 2022. Paralelo a isso pode, com a proposta de Pacheco, caso aprovada, voltar a ter controle sobre uma empresa de energia.
O avanço das negociações dos estados endividados tornou mais factível o que há poucos meses era visto com ceticismo até pela bancada governista mineira no Congresso: que a Cemig passe de fato a ser controlada pela União, e não mais pelo governo de Minas Gerais. A federalização da Codemig sempre foi considerada mais simples e a da Copasa, assim como da Cemig, é considerada complexa...

Fonte: Uol

Leia mais em:

https://economia.uol.com.br/colunas/mariana-londres/2024/07/01/cemig-pode-passar-para-uniao-e-lula-voltara-a-controlar-empresa-de-energia.htm

Energia de ‘gatos' no CE daria para abastecer Caucaia, Maracanaú, Sobral e Juazeiro juntos por 1 ano

A quantidade de energia elétrica furtada no Ceará atingiu o índice de 1,25 TWh (Terawatt-hora) em 2023. Esse volume de perdas não técnicas (PNT), conhecidas popularmente como ‘gatos’, daria para abastecer os municípios cearenses de Caucaia, Maracanaú, Sobral e Juazeiro do Norte juntos por um ano. 
O comparativo foi feito pela Enel Ceará a partir do levantamento da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), com base nos dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A entidade aponta que o país alcançou um recorde de PNT, com 40.78 TWh furtados em 2023.
A pesquisa mostra que o percentual de energia furtada chega a 15,6% no Ceará. O montante faz o estado ser o 3º do Nordeste com maior incidência de ‘gatos’.
Uma parcela dessas perdas não técnicas é distribuída dentro do preço da tarifa. Anualmente, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) estabelece a PNT Regulatória, patamar dos custos que as companhias podem repassar aos consumidores, em contraponto à PNT Real, que é o valor furtado de fato...

Fonte: Diário do Nordeste

Leia mais em:

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/ceara/energia-de-gatos-no-ce-daria-para-abastecer-caucaia-maracanau-sobral-e-juazeiro-juntos-por-1-ano-1.3524634

Nem OpenAI e muito menos Nvidia, as grandes vencedoras da IA são as empresas de energia

A crescente demanda por poder computacional para alimentar a inteligência artificial (IA) está transformando o cenário dos centros de dados. Em meio a construções incessantes e salas repletas de servidores, um novo complexo industrial dedicado a esses centros surge, ilustrando a magnitude dessa transformação. Analistas destacam que os centros de dados são beneficiários pouco notados da onda de IA. De acordo com a Goldman Sachs, a demanda por energia dos centros de dados deve aumentar 160% até o final da década, impulsionada pela IA e pelo uso crescente de ferramentas como o ChatGPT, que consomem até dez vezes mais eletricidade que uma pesquisa básica no Google.
Essa revolução pode beneficiar empresas de construção, serviços públicos e elétricas envolvidas no ecossistema dos centros de dados. Tradicionalmente vistos como setores defensivos, agora oferecem oportunidades de investimento promissoras. Nos últimos seis meses, as utilidades são o terceiro setor de melhor desempenho no S&P 500, superando apenas os setores de tecnologia da informação e serviços de comunicação, dominados por gigantes da IA como Meta, Nvidia e Alphabet...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/inteligencia-artificial/nem-openai-e-muito-menos-nvidia-as-grandes-vencedoras-da-ia-sao-as-empresas-de-energia/

AI in the energy transition: problem or solution?

Is artificial intelligence a problem or a solution for the energy transition?
That was the question posed during a panel debate at London Climate Action Week: and the answer is… it’s both.
Or at least it is for the moment. Why? Because of the mind-boggling amount of energy it takes to power the equally mind-boggling number of data centres that are being built to enable AI.
A recent report by Goldman Sachs found that a ChapGPT query uses nearly ten times the energy needed for a Google search. Last week, Bill Gates, speaking at a conference hosted by his venture fund Breakthrough Energy, said people should not “go overboard” about AI’s massive energy demand, stating that technology companies were “seriously willing” to foot the bill for renewable energy to power their date centres.
“AI is adding to the climate problem – it has created a new challenge,” said Angie Ma, moderator of the panel discussion and co-founder of Faculty AI, a decade-old, London-based applied AI technology company that works with organisations to implement AI systems...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/digitalisation/ai-in-the-energy-transition-problem-or-solution/

Copel (CPLE6) anuncia novo CFO e novo diretor de regulação e mercado; confira quem assume os cargos

A Copel (CPLE6) realizou alterações em sua diretoria executiva, elegendo Felipe Gutterres para o cargo de diretor de finanças e de relações com investidores (CFO) e André Luiz Gomes da Silva como diretor de regulação e mercado.
Conforme o comunicado enviado ao mercado nesta segunda-feira (01), as mudanças foram feitas a partir de processo seletivo conduzido por consultorias especializadas.
Gutterres substitui Adriano Rudek de Moura, que ocupava o cargo desde maio de 2017. Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), passou por grandes empresas nos segmentos de Infraestrutura, Logística, Óleo e Gás e Tecnologia como Wilson Sons, Sistac, Shell e a Fintech Arara.io.
Já André Gomes é graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Engenharia de Itajubá (UNIFEI), exerceu cargos de liderança em órgãos e empresas como CPFL Energia, AES Brasil e na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), sendo responsável por assuntos regulatórios, estratégicos e institucionais.

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/copel-cple6-anuncia-novo-cfo-e-novo-diretor-de-regulacao-e-mercado-confira-quem-assume-os-cargos/

Conta de luz vai aumentar em julho após Aneel acionar bandeira amarela; veja valores

A bandeira tarifária para o mês de julho será amarela, o que vai resultar em aumento de R$ 1,885 a cada 100 kW/h nas tarifas dos consumidores. A mudança ocorre em razão da previsão de falta de chuvas, o que dificulta a geração de energia no Brasil, segundo a Aneel.
O valor foi aprovado pela agência em março deste ano, representando redução de 37% em relação ao valor anterior da bandeira amarela, que era de R$ 2,989/KWh.
A bandeira amarela foi acionada por causa da previsão de chuvas abaixo da média até o final do ano (cerca de 50%) e da expectativa de aumento da carga e do consumo de energia no mesmo período. O cenário de escassez hídrica e um inverno com temperaturas acima da média histórica faz com que as termelétricas, cuja energia é mais cara que a das hidrelétricas, sejam mais utilizadas.
Por isso, os fatores que levaram ao acionamento da bandeira amarela foram o GSF (risco hidrológico) e o aumento do Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), pois atualmente não há despacho fora da ordem de mérito (GFOM) decidido pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE)…

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/economia/conta-de-luz-tarifa-amarela-aneel-aumento/

Carga vai triplicar em 15 anos e visão deve ser de médio prazo, diz Tolmasquim

O diretor de Transição Energética e Sustentabilidade da Petrobras, Mauricio Tolmasquim, avalia que, com o aumento da eletrificação na esteira da transição energética, a demanda por eletricidade no Brasil deve triplicar em 15 anos e, por isso, a carga baixa atual não deve ser vista como “obstáculo” pelo setor.
“O mercado tem hoje tem muito mais oferta do que demanda, [mas] acho que isso não deve ser visto como um obstáculo. Tem uma projeção de que nos próximos 15 anos a demanda de energia elétrica no Brasil vai triplicar. Então, temos que ter um olhar mais de médio prazo, porque às vezes as pessoas ficam muito contaminadas com o curto prazo”, disse o diretor durante evento do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), realizado nesta sexta-feira, 28 de junho, no Rio de Janeiro.
Tolmasquim também reforçou que a Petrobras estuda investimentos em geração eólica e solar onshore, “que já é competitivo e tem modelo de negócios estabelecido”. Mesmo assim, em função da intermitência destas fontes, a Petrobras vai continuar investindo em geração térmica flexível, que classificou como um “ativo fundamental no sistema” em função da segurança energética que proporciona...

Fonte: Megawhat.energy

Leia mais em:

https://megawhat.energy/mercado-energetico/carga-vai-triplicar-em-15-anos-e-visao-deve-ser-de-medio-prazo-diz-tolmasquim/

Conselho aprova novos diretores da Petrobras

A Petrobras anunciou, nesta sexta (28/6), que o Conselho de Administração elegeu os novos membros para a Diretoria Executiva da empresa. A presidente da estatal, Magda Chambriard, indicou Renata Faria Rodrigues Baruzzi Lopes como diretora de Engenharia, Tecnologia e Inovação; e Sylvia Maria Couto dos Anjos para a diretoria de Exploração e Produção. Serão responsáveis pelo principal negócio da companhia, a produção de óleo e gás.
O novo diretor Financeiro, Fernando Melgarejo, ficará encarregado do relacionamento com investidores e fica no lugar de Carlos Rechelo Neto que havia assumido o cargo de CFO de forma interina, desde a saída de Sérgio Caetano Leite, demitido junto com Jean Paul Prates.
Renata Baruzzi, funcionária de carreira da Petrobras e que até então era gerente da área de gestão integrada da logística, substituirá Carlos Travassos. É formada em Matemática pela Unicamp, com especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia pela Coppe/NCE e Administração pelo IBMEC...

Fonte: Epbr

Leia mais em:

https://epbr.com.br/conselho-aprova-novos-diretores-da-petrobras/

MME normatiza novo processo de declaração de demanda para leilões de energia elétrica

O Ministério de Minas e Energia (MME) publicou, nesta sexta-feira (28/06), a Portaria Normativa Nº 83 GM/MME, que cria o Sistema de Gerenciamento de Leilões (SGL). O instrumento, idealizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), será o novo meio pelo qual os agentes de distribuição farão suas declarações de demanda para os leilões de energia elétrica do Ambiente de Contratação Regulada (ACR).
O sistema visa aumentar a segurança das informações, desburocratizar o setor elétrico e aprimorar a interface dos agentes de distribuição no envio das declarações. Com a iniciativa, esses agentes passam a receber notificações por e-mail contemplando informações sobre o processo de declaração do certame em andamento, como a confirmação da inserção dos dados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e o envio das declarações.
As informações continuarão sigilosas, de modo a manter a segurança e a competitividade dos leilões de energia elétrica.
O SGL foi apresentado pelo MME e pela CCEE na quinta-feira (20/06) em uma edição especial do Momento Capacita, um evento para capacitação do mercado de energia sobre a nova ferramenta. Na ocasião os agentes de distribuição participaram de uma simulação para testarem o novo sistema.

Fonte: Aneel.gov

Leia mais em:

https://www.gov.br/mme/pt-br/assuntos/noticias/mme-normatiza-novo-processo-de-declaracao-de-demanda-para-leiloes-de-energia-eletrica

Contratos do primeiro leilão de transmissão de 2024 são assinados pela ANEEL

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e os representantes das empresas vencedoras assinaram os contratos de concessão referentes ao Leilão de Transmissão 1/24 realizado pela ANEEL em 28/3/24, na sede da B3, em São Paulo. Considerado o segundo maior leilão realizado pela ANEEL e com investimentos da ordem de R$ 18,2 bilhões, o certame terminou com os 15 lotes negociados.
O deságio médio foi de 40,78%, o que representa uma economia para o consumidor final da ordem de R$ 30,1 bilhões. Os quinze lotes negociados contemplam 6.464 km de linhas de transmissão e subestações com capacidade de transformação de 9.200 MVA, localizados nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.
O prazo para operação comercial dos empreendimentos varia de 36 a 72 meses, para concessões por 30 anos, contados a partir da celebração dos contratos. A expectativa é de geração de aproximadamente 35 mil empregos durante a construção dos empreendimentos. Leia mais sobre o leilão.

Fonte: Aneel.gov

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2024/contratos-do-primeiro-leilao-de-transmissao-de-2024-sao-assinados-pela-aneel

Schneider Electric é nomeada a empresa mais sustentável do mundo em 2024

A Schneider Electric, líder global na transformação digital da gestão de energia e automação, ocupa a primeira posição na lista das “Empresas Mais Sustentáveis do Mundo em 2024“, realizada pela revista Time e Statista. O reconhecimento reflete os objetivos ambiciosos da companhia de reduzir suas emissões, bem como o compromisso de ajudar seus clientes e stakeholders a se tornarem mais eficientes energeticamente e também reduzirem suas emissões.
A Time e a Statista utilizaram uma metodologia transparente e em múltiplas etapas para identificar as empresas mais sustentáveis do mundo em 2024, em um processo que iniciou com um grupo de mais de cinco mil das maiores e mais influentes companhias globais. Depois de uma rigorosa avaliação em quatro etapas, o ranking final excluiu indústrias insustentáveis e considerou fatores como avaliações e compromissos externos de sustentabilidade, práticas de relatórios corporativos e indicadores de desempenho socioambientais. Essa abordagem resultou em um ranking de 500 empresas de mais de 30 países...

Fonte: Revista Seguro Total

Leia mais em:

https://revistasegurototal.com.br/2024/06/27/schneider-electric-e-nomeada-a-empresa-mais-sustentavel-do-mundo-em-2024/

bottom of page